BRASIL: Governo abre crédito de R$ 32 bilhões para financiar a inovação

Compartilhar

 

Linhas de crédito vão beneficiar empresas de todos os portes, setores e atividade  econômica. Objetivo maior é ampliar a competitividade

 
Por PT no Senado Quinta-feira, 14 de março de 2013

A presidenta Dilma Rousseff lançou, nesta quinta-feira (14), o Plano Inova Empresa, com abertura de linhas de crédito de R$ 32,9 bilhões para empresas de todos brasileiras de todos os portes e setores investirem em inovação e tecnologia, para adquirir maior competitividade no mercado internacional. Os recursos serão aplicados neste ano e em 2014, e são extensivos à indústria, agricultura e aos serviços.
O plano apresenta quatro linhas de financiamento para as atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação: subvenção econômica a empresas (R$ 1,2 bilhão); fomento para projetos em parceria entre instituições de pesquisa e empresas (R$ 4,2 bi); participação acionária em empresas de base tecnológica (R$ 2,2 bi) e crédito para empresas (R$ 20,9 bi).
A Agência Nacional do Petróleo (ANP), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) ingressarão no projeto Inovar com R$ 4,4 bilhões que serão aplicados no desenvolvimento tecnológico da cadeia produtiva de petróleo e gás, energias renováveis e apoio ao micro e pequeno empresário.
O Plano Inova Empresa ainda receberá um aporte de R$ 3,5 bilhões da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) para financiar as atividades de pesquisa e desenvolvimento do setor. Os recursos estão condicionados ao término de processos de regulação das telecomunicações, atualmente em consulta pública.
A linha de crédito para empresas dispõe de R$ 20,9 bilhões, com taxas de juros subsidiadas (2,5% a 5% ao ano), quatro anos de carência e 12 anos para pagamento do empréstimo. Os agentes executores são o Banco Nacional Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI).
O Governo Federal ainda anunciou a criação da Empresa Brasileira para Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii), que visa fomentar o processo de cooperação entre empresas nacionais, principalmente pequenas e médias, e instituições tecnológicas ou instituições privadas sem fins lucrativos, voltadas a pesquisa e o desenvolvimento.
“A Embrapii nada mais é do que uma estrutura ágil que vai fazer o casamento entre as demandas das empresas. Um agente para estabelecer a química, um catalisador que vai estabelecer uma química entre a demanda empresarial e a infraestrutura tecnológica. Foca na demanda industrial e também um estímulo às instituições de P&D existentes no país”, disse o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp.
O Governo também criou uma linha de crédito de R$ 5 bilhões para as pequenas empresas que atuam em setores estratégicos não incluídos no projeto Inovar. Os recursos financiarão projetos de infraestrutura para pesquisa, desenvolvimento e inovação e atividades de pesquisa e desenvolvimento nas áreas de engenharia de produto e processo.
Do total a ser investido, R$ 23,5 bilhões englobam sete eixos estratégicos: Cadeia Agropecuária e Agroindústria; Energias; Petróleo e Gás; Complexo da Saúde; Complexo Aeroespacial e de Defesa; Tecnologia da Informação e Comunicação; e Sustentabilidade Socioambiental. “Creio que o estado dispõe hoje de meios que permitem que nós façamos a indução ao desenvolvimento, que permite que façamos desonerações tributárias, que permite que nós tenhamos uma política de crédito adequada a esse processo. Nós temos de dedicar toda nossa atenção para que tenhamos um País mais construtivo, menos desigual e uma economia com grande capacidade de ser produtiva, de ter uma elevada produtividade para poder ser competitiva”, completou Dilma.
Gestão O Plano Inova Empresa terá um comitê gestor formado pela Casa Civil da Presidência da República, Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação, da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior, e da Fazenda, e Secretaria da Micro e Pequena Empresa. Participam, ainda os Ministérios da Saúde, Defesa, Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Educação, Trabalho e Emprego, Comunicações, Minas e Energia e Meio Ambiente.
*Com informações do Portal Planalto e da Agência Brasil

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais