Jornalistas condenam agressões à presidenta Dilma

Compartilhar

Para jornalistas, analistas e cronistas esportivos, xingamentos foram grosseiros e desnecessários e podem demonstrar regressão no nível debate público

 

O desrespeito  com a presidenta Dilma Rousseff demonstrado por uma parte do público que participou de a abertura da Copa do Mundo, na quinta-feira (12), em São Paulo, foi duramente criticada por profissionais da imprensa em diversos órgãos do País.

Um dos mais enfáticos, o jornalista esportivo Juca Kfouri atribuiu as agressões ao que chamou de “elite branca”. Em comentário para o Jornal da CBN, ele condenou o desrespeito à presidenta. ” (Utilizaram) palavrões típicos de quem tem dinheiro, mas não tem um mínimo de educação, civilidade ou espírito democrático”, afirmou.
O jornalista ainda disse que os xingamentos raivosos foram típicos de quem não sabe conviver com a divergência, mesmo em relação a uma governante legitimamente eleita pelo povo brasileiro.

Para o colunista Josias de Souza, o que fizeram contra a presidenta foi indesculpável. “O presidente da República é uma faixa. Xingá-la significa ofender a instituição”, pontuou.

“Quando o xingamento é transmitido em rede mundial, adquire uma pungência hedionda”, completou.

Para Josias, a torcida teria, com isso, informado ao planeta que o Brasil está perdendo a “noção de civilidade”.

Durante programa da ESPN, os comentaristas José Trajano e Arnaldo Ribeiro, também demonstraram sua insatisfações com a postura do público. Para eles, a atitude foi grosseira e estragou a empolgação transmitida pela plateia à Seleção Brasileira durante a entonação do Hino Nacional à capela.

Já o colunista Kennedy Alencar afirmou que esse fato faz mal à política e ao Brasil. “É preciso saber separar a vaia tradicional das provocações com palavrões”, argumentou.

“Houve um desrespeito e deselegância com a presidente na abertura da Copa do Mundo, o que mostrou como o debate público no Brasil regrediu e ficou radicalizado”, encerrou.

A presidenta Dilma Rousseff comentou o ocorrido, durante a inauguração do BRT ,na manhã desta sexta-feira, em Brasília

“Eu não vou me deixar perturbar por agressões verbais “, afirmou.

Fonte: Alessandra Fonseca, da Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais