País comemora os ótimos resultados da Copa das Copas

Compartilhar

Com o apoio do governo federal, a Copa do Mundo superou todas as expectativas pessimistas

Com muitos motivos para comemorar, o Brasil encerrou nesse domingo (13), com chave de ouro, a Copa das Copas. Competência e organização foram marcas do evento que mostrou ao mundo que estamos preparados para sediar um megaevento. Quem acompanhou a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 de perto pôde desfrutar do carinho e receptividade do povo brasileiro, das belezas naturais e das modernas instalações dos aeroportos e estádios além de transitar pelas cidades-sede com facilidade e segurança. Tudo isso graças a alguns dos investimentos feitos pelo governo federal para a realização do campeonato.

“Sob todos os aspectos o Brasil fez uma Copa do Mundo que eu acredito que, de fato, foi uma das melhores Copas, e nós devemos isso, em grande parte, ao povo brasileiro, à sua capacidade de ter hospitalidade e de receber bem os torcedores do mundo, e eu espero – e tenho certeza – que todo o mundo vai reconhecer esse fato.”, destacou a presidente Dilma Rousseff em entrevista para a CNN, semana passada.

O número de turistas que visitaram o Brasil durante a Copa do Mundo superou as expectativas do Ministério do Turismo, que esperava 600 mil estrangeiros nos 30 dias de competição. Apenas em junho, quando foi disputada a fase de grupos do mundial, o Brasil recebeu 692 mil visitantes estrangeiros de 203 nacionalidades, segundo números da Polícia Federal divulgados no sábado (12). As autoridades ainda não contabilizaram os números em julho, quando foram disputadas as fases eliminatórias do campeonato.

Nos estádios, nos quais foram investidos R$ 8 bilhões, a média de torcedores foi superior a 50 mil, a terceira maior entre todas as edições do mundial. A maior parte dos torcedores era de brasileiros, que compraram mais de 2,6 milhões de ingressos. A taxa de ocupação foi de 98,2% (segunda melhor marca em Copas) e o público total de 3.045.963 (quarta melhor marca das Copas).

Legados da Copa 2014

Este sucesso não é por acaso. Graças à atuação estratégica do governo de Dilma Rousseff, o País conquistou visibilidade internacional positiva e estimulou a cadeia de turismo, da construção civil, serviços e comércio, entre outros segmentos.

O Brasil investiu, ao todo, R$ 17,6 bilhões em infraestrutura para a Copa do Mundo 2014. Investimento que significa legado para a população brasileira. Este recurso foi direcionado a projetos de mobilidade urbana (R$ 8 bilhões), aeroportos (R$ 6,3 bilhões), segurança pública e defesa (R$ 1,9 bilhão), turismo (R$ 200 milhões), portos (R$ 600 milhões), telecomunicações (R$ 400 milhões) e mais R$ 200 milhões em outras instalações.

“O Brasil conseguiu fazer estádio, fazer infraestrutura, conseguiu construir uma política federativa de segurança. Além disso, é importante se dizer (que) no caso das Comunicações, uma cidade das 12 (cidades) tem 4 fibras óticas, 4 sistemas de fibra ótica; 9 (cidades) tem 3 (sistemas de fibra ótica); e 2 (cidades) tem 1 (sistema).”, destacou a presidente Dilma Rousseff em entrevista para a Globonews, veiculada na última sexta-feira (11/7).

Do total destinado para a construção das arenas, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) financiou R$ 4 bilhões, valor que será ressarcido aos cofres públicos. O recurso foi usado para construir estádios modernos – que contam com redes de telefonia 4G e Internet Wi-Fii – e sustentáveis. Para se ter uma ideia, possuem sistemas de aproveitamento da luz solar; dispositivos de economia de energia; coberturas autolimpantes; e economia de água da chuva. Além disso, os assentos são marcados (novidade nos estádios brasileiros) e há câmeras de segurança com capacidade para identificação facial.

Só na área de telecomunicações, por meio das obras para a Copa, o País expandiu a rede de fibra óptica e implantou rede 4G nas 12 cidades-sede, que tem velocidade até 10 vezes mais rápida que o atual 3G. Já entre as obras de mobilidade urbana, 45 eram para melhoria do transporte coletivo nas cidades-sedes, beneficiando aproximadamente 62 milhões de pessoas.

Foram implementados modelos de transporte público que são mais eficientes e sustentáveis – usam tecnologia capaz de reduzir emissões de CO2 e propiciar menor consumo. Entre os projetos, destaque corredores e vias para ônibus; estações, terminais e Centrais de Controle de Tráfego; e BRTs (Bus Rapid Transit) e VLTs (Veículo Leve sobre Trilhos).

“(A Copa) é fator de desenvolvimento econômico e social, gera negócios, injeta bilhões de reais na economia, cria empregos”, analisou Dilma Rousseff no programa Café com a Presidenta, mês passado.

Volume de passageiros e geração de emprego e negócios
Cerca de 10 milhões de passageiros passaram pelos 20 principais aeroportos brasileiros durante os 31 dias da Copa do Mundo, de acordo com o Ministério do Turismo. Durante todo o Mundial 2014, apesar do aumento do volume de passageiros, não houve registro de filas, atrasos ou outros incidentes. Isso porque os aeroportos das cidades-sede receberam melhorias nos terminais de passageiros, pistas e pátios, e adequações operacionais.

Com as mudanças, ampliou-se em 81% a capacidade de atendimento. A previsão para 2014, é que passem pelos aeroportos brasileiros cerca de 295 milhões de turistas/ano.

Na área de segurança pública e defesa, foram destinados R$ 709 milhões para, entre outras coisas, modernizar e preparar o aparato militar; adquirir novos equipamentos e tecnologias; e em equipamentos e infraestrutura para defesa cibernética e centros de operações. Outros R$ 782 milhões foram usados para integrar instituições e sistemas e a centralização das operações de segurança; e estruturar os 12 centros integrados nas cidades-sedes e dois centros nacionais.

Na infraestrutura turística e na qualificação profissional, foram investidos R$ 196 milhões. Com os investimentos no setor, foi gerado 710 mil postos fixos de trabalho e 200 mil temporários. Só para exemplificar, as comunidades do Rio de Janeiro registram aumento de 30% na circulação de turistas. As capitais mais visitadas foram Rio, São Paulo, Belo Horizonte e Brasília.

Os portos brasileiros também receberam investimentos. Ao todo R$ 600 milhões foram usados em melhorias nos terminais dos portos de Fortaleza (CE), Natal (RN), Manaus (AM), Recife (PE), Salvador (BA), Santos (SP). Foi possível ainda implantar novo modelo de governança no setor, a fim de elevar a eficiência dos serviços portuários e garantir maior participação privada. E com a autorização do governo para a criação de 22 terminais de uso privado (TUP), a iniciativa privada vai investir no setor cerca de R$ 9 bilhões.

Na entrega simbólica da Copa do Mundo para a Rússia, neste domingo (13) a presidenta convidou todos a voltarem ao Brasil para celebrar as Olimpíadas 2016. “Nós, brasileiras e brasileiros de todos os cantos deste imenso e adorado País, convidamos todos a voltarem para as Olimpíadas e Paraolimpíadas 2016, que sediaremos com a mesma competência e hospitalidade dedicadas à Copa do Mundo FIFA Brasil 2014″.

Fonte: Equipe Dilma Rousseff

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais