Vote pelo plebiscito da reforma política na internet

Compartilhar

Acontece na semana da pátria deste ano, de 1º a 7 de setembro, a votação do plebiscito pela Constituinte Exclusiva e Soberana do Sistema Político. Os comitês organizadores que já passam de mil, e os militantes que apoiam a sua realização já deram início à série de discussões sobre a necessidade de mudança no sistema político nacional.

Um Plebiscito Popular é convocado pelo próprio povo para que os cidadãos votem para aprovar ou não uma questão importante para toda a sociedade. Se aprovada, a constituinte exclusiva será responsável por fazer a reforma política no Brasil.

Para votar, você pode procurar um comitê popular: a lista dos comitês está no site www.plebiscitoconstituinte.org.br . Ou então, sem sair de casa, você pode votar pelo site no mesmo endereço www.plebiscitoconstituinte.org.br/ do plebiscito constituinte, onde haverá uma ferramenta autenticadora de coleta de votos. Assim fica mais fácil para todo mundo participar. Com a possibilidade de voto pela internet, os organizadores da campanha esperam atingir a meta de 10 milhões de votos.

A partir das primeras horas do dia 1º de setembro a urna virtual estará disponível, sendo possível votar até o dia 7 de setembro. Ela só aceitará votos de pessoas identificadas e não irá permitir a participação por mais de uma vez. Para votar via internet a pessoa deverá informar seu nome completo e o número do seu Cadastro de Pessoa Física – CPF.

A votação consistirá em responder sim ou não à seguinte pergunta: “Você é a favor da convocação de uma constituinte exclusiva e soberana sobre o sistema político?” Lembrando que para votar é necessário que a pessoa atenda aos requisitos da legislação eleitoral. Ou seja: ter mais de 16 anos de idade e possuir título de eleitor.

 

Participe do Plebiscito Popular pela Reforma Política: juntos construindo um novo Brasil

No ano passado, milhões de pessoas foram às ruas por mais mudanças, pela melhoria dos serviços, por uma nova política. O nosso projeto de governo é consonante com essas vozes. Lula e Dilma, que já fizeram muito, querem que o Brasil continue mudando, querem mais mudanças e mais futuro e um país mais justo para todxs xs brasileirxs. Por isso, Dilma deu grandes passo para renovar a nossa política encaminhando a proposta de uma Constituinte Exclusiva para fazer a reforma política no Brasil. Ela também declarou, ontem, que apoia todas as iniciativas que busquem a Reforma Política: "que torne as instituições adequadas ao tamanho do Brasil, adequadas hoje tanto às relações sociais, econômicas, que existem e que exigem cada vez mais que a sociedade seja ouvida."

E nada melhor do que jogar essa decisão nas mãos de quem tem o poder de decidir e de quem será o principal beneficiado com essas mudanças: o povo. Por isso, os movimentos sociais convocaram um plebiscito popular para votar a formação da Constituinte Exclusiva agora, de 1 a 7 de setembro.

Um Plebiscito Popular é convocado pelo próprio povo para que os cidadãos votem para aprovar ou não uma questão importante para toda a sociedade. A Constituinte Exclusiva é uma assembleia de deputados eleitos pelo povo para que, neste caso, construam propostas de modificação da Constituição Federal de 1988 para que possamos fazer uma reforma do sistema político brasileiro.

Mas por que essa reforma política é tão necessária? Hoje, o nosso sistema político não funciona de forma inclusiva. Não temos, por exemplo, uma representação justa de mulheres, negros e indígenas dentre os parlamentares. Além disso, a reforma do sistema é necessária para fortalecer os partidos, diminuindo a valorização pessoal na política; e para criar o financiamento público de campanha, valorizando, assim o debate de ideias acima do poder do capital e promovendo condições justas para que todos possam participar da política e o povo seja, de fato, representado pelos governantes. Essa é a proposta do PT para construir um sistema que inclua mais e ande no mesmo caminho desse país que já mudou a vida de tanta gente e quer mudar ainda mais.

A sua participação no plebiscito popular é muito importante por todas as questões expostas acima. Para participar, é simples, é só seguir os passos abaixo:

1. Procure um comitê popular perto de você: Dá pra achar os comitês já organizados aqui .

2. Você pode também criar o seu próprio comitê popular. Depois disso, é só organizar as atividades, como palestras, audiências, atividades culturais e etc.Também é importante  organizar os locais de votação e preparar as urnas. Depois de criado o comitê, é só cadastrar no site (link is external).

3. Espalhe a ideia e explique a importância de participar. Acesse a página do facebooke compartilhe, divulgando músicas e vídeos,  baixe (link is external) e divulgue a cartilha, acesse o twitter (link is external) e ajude a espalhar a ideia!

4. O mais importante de tudo: vote! De 1 a 7 de setembro, nas urnas espalhadas por todo o país!

Jovens respondem dúvidas sobre reforma política


 

 

 

 

 

Fonte: Site  Muda Mais

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais