No SBT, Dilma mostra realizações e defende mais mudanças

Compartilhar

A presidenta Dilma Rousseff, candidata à reeleição, explicou que quando defende as realizações do seu governo não significa que está plenamente satisfeita. “Mais do que ninguém, quem fez tanto, sabe fazer e sabe como continuar fazendo. Vamos gerar mais empregos de melhor qualidade. Vamos garantir Saúde, Educação e Segurança ao povo brasileiro”, disse ela durante o debate entre candidatos à Presidência da República, realizado pelo SBT em parceria com UOL, Folha de S. Paulo e rádio Jovem Pan.

“Fui eleita para dar continuidade às conquistas do presidente Lula. E preparamos o Brasil para um novo ciclo de desenvolvimento”, disse. A presidenta lembrou que os governos do PT tiraram 36 milhões de pessoas da extrema pobreza e 42 milhões de pessoas entraram para a classe C nos últimos 12 anos. Só no seu governo foram 22 milhões de pessoas fora da extrema pobreza.

“Estamos construindo um Brasil mais moderno, mais produtivo e mais competitivo”,disse a presidenta ao comentar que a queda da atividade econômica é momentânea. “Não estamos em recessão porque o mercado consumidor aumenta, por conta do emprego e aumento de salários”

Retrocesso – Ela manifestou preocupação em relação à falta de solidez das promessas feitas por Marina Silva e disse que o povo brasileiro sabe escolher os bons governantes e que não basta ter promessas, é preciso ter um projeto sólido. “É uma contradição, sim, entre querer política macroeconômica atrelada a interesses e forma de visão para desempregar, arrochar, aumentar tarifa e impostos, e ao mesmo tempo defender políticas sociais”, disse ao mostrar as semelhanças entre as propostas conservadoras dos tucanos e de Marina. “Não se resolve isso com boas palavras ou boa intenção”, comentou.

Ela defendeu que o pré-sal não pode ser demonizado, como Marina tem feito. “É um dos maiores patrimônios do Brasil, um passaporte para o futuro. O pré-sal está aí e deve ser explorado para ter educação e saúde de muito mais qualidade, mais educação de tempo integral”, disse a presidenta, lembrando que com o pré-sal será possível investir na Educação mais de R$ 1 trilhão.

Mobilidade – A presidenta Dilma disse que o governo federal fez investimentos importantes em mobilidade urbana em todos os estados, inclusive em Minas Gerais. Foram R$ 143 bilhões na construção rodoviais, corredores exclusivos para BRTs e VLTs, metrôs em 9 capitais brasileiras e monotrilhos. “Meu governo colocou R$ 143 bilhões (em mobilidade urbana). Seis novos trens interurbanos, três monotrilhos, 13 VLTs, dois aeromóveis, em Porto Alegre e em Campos e 189 BRTs. (…) Vou repetir, não é questão trivial: R$ 143 bilhões de reais foram colocados à disposição para que as pessoas tenham tempo, transporte seguro e rápido. Tempo para ficar com a família, desfrutar da vida.”

Fonte: Agência PT de Notícias

Foto: Ichiro Guerra/ Dilma 13

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais