Dilma: Brasil, mais uma vez, essa filha tua não fugirá à luta

Compartilhar

A presidenta reeleita, Dilma Rousseff, foi recebida calorosamente por autoridades, aliados políticos e militantes da coligação com a Força do Povo em hotel de Brasília após o anúncio oficial de sua vitória nas urnas. No momento do pronunciamento, 99,98% das urnas haviam sido apuradas, dando vitória a Dilma com 51,64% dos votos.

 
Por Campanha Dilma Rousseff
Segunda-feira, 27 de outubro de 2014

 

Dilma chegou acompanhada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do vice-presidente Michel Temer. Em um discurso emocionado, a presidenta agradeceu a confiança do povo brasileiro e reafirmou sua profunda disposição de liderar de forma pacifica e democrática o momento que chamou de transformador.

“Chegamos ao final de uma disputa eleitoral que mobilizou intensamente todas as forças do nosso País. Como vencedora dessas eleições históricas, tenho palavras de agradecimento e conclamação”, iniciou o pronunciamento, agradecendo também ao vice-presidente, aos partidos políticos que compõem a coligação e ao povo brasileiro. “Conclamo sem exceção a todas as brasileiras e brasileiros para assumirmos em favor do futuro de nossa pátria, de nosso País, de nosso povo. Não acredito, sinceramente, que essas eleições tenham dividido o País ao meio. Entendo que elas mobilizaram ideias e emoções as vezes contraditórias, mas movidas por um sentimento comum: a busca por um futuro melhor para o Brasil”, disse.

Ao invés de ampliar divergências, a presidenta espera que a energia mobilizadora tenha preparado o terreno para a construção de pontes. “O calor da disputa deve ser transformado em energia construtora de um novo momento do Brasil”, disse Dilma. “Com a força desse sentimento de mobilização é possível encontrar pontos em comum e construir com eles uma primeira fase de entendimento para fazermos o nosso País avançar”, continuou.

A presidenta afirmou que a democracia não significa necessariamente unidade de ideias e que está aberta e disposta ao diálogo. “Meu primeiro compromisso do segundo mandato é o diálogo”, garantiu. Para Dilma, a eleição deve ser vista de forma pacifica e segura de mudança para o País, especialmente na maior democracia do mundo.

“Quando uma reeleição se consuma, ela tem de ser entendida como um voto de esperança dado pelo povo na melhoria do governo. Voto de esperança. Eu sei que é isso que o povo diz quando reelege um governante. Foi o que eu escutei nas urnas. Por isso, quero ser uma presidenta muito melhor do que fui até agora. ”, afirmou Dilma.

Para a presidenta reeleita, dois temas dominaram a campanha: mudança e reforma. “Sei que estou sendo reconduzida à presidência para fazer as grandes mudanças que a sociedade brasileira exige. Naquilo que meu esforço, meu papel e meu poder alcançam, podem ter certeza, estou pronta a responder essa convocação. Sei do poder que cada presidente tem de liderar as grandes causas populares e eu o farei”, afirmou.

Em seu próximo governo, Dilma abrirá espaço para diálogo em todos os setores da sociedade para encontrar as soluções mais rápidas para os problemas do Brasil. “Entre as reformas, a primeira e mais importante deve ser a Reforma Política. Meu compromisso ficou claro durante a campanha de deflagrar essa reforma, que é responsabilidade constitucional do Congresso Nacional e que deve mobilizar a sociedade por meio de uma consulta popular”, disse a presidenta.

Outro compromisso da presidenta será com o combate à corrupção, fortalecendo as instituições de controle e propondo mudanças na legislação atual para acabar com a impunidade, que ela classifica como protetora da corrupção. “Ao longo da campanha anunciei medidas que serão muito importantes para que o País enfrente a corrupção e acabe com a impunidade. Promoverei também, com urgência, ações localizadas, em especial na economia para retomar o ritmo de crescimento, garantir os altos níveis de emprego e a valorização dos salários”, enumerou Dilma.

Para isso, Dilma vai dar mais impulso às atividades econômicas em todos os setores, em especial o industrial. Além disso, a presidenta disse que seguirá combatendo com rigor a inflação e trabalhando para avançar no terreno da responsabilidade fiscal.

“Mais que nunca é hora de cada um acreditar no Brasil e ampliar o sentimento de fé nessa nação incrível que temos o privilégio de pertencer e a responsabilidade de fazê-la cada vez mais próspera e justa”, disse a presidenta reeleita, afirmando que continuará atuando para construir um País mais justo, moderno e produtivo. “O País da solidariedade e das oportunidades, que valoriza o trabalho e a energia empreendedora, que cuida das pessoas com olhar especial para mulheres, negros e jovens. Um Brasil cada vez mais voltado para Educação, Cultura, Ciência e inovação”, continuou.

Dilma concluiu seu pronunciamento convocando os brasileiros a darem as mãos e avançar na construção do futuro. “O carinho, o afeto, o amor e apoio que recebi nessa campanha me dão energia para seguir em frente com muito mais dedicação. Hoje, estou muito mais forte, mais serena e mais madura para a tarefa que vocês me delegaram. Brasil, mais uma vez, essa filha é tua, não fugirá da luta. Viva o Brasil, viva o povo brasileiro”.

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais