Investigação Operação Lava Jato ocorre às claras e pode mudar o Brasil pra sempre, diz Dilma

Compartilhar

Em entrevista coletiva concedida após o fim da Cúpula do G20, em Brisbane, hoje (16), a presidenta Dilma Rousseff afirmou que a grande diferença do caso das investigações que envolvem a Petrobras é o fato de ele estar colocada “à luz do sol”. De acordo com Dilma, este é o primeiro escândalo investigado abertamente e isso mudará o País para sempre, por acabar com a impunidade e punir corruptores e corruptos.

“Esse não é, eu tenho certeza disso, o primeiro escândalo. Agora, ele é o primeiro escândalo investigado, o que é diferente”, afirmou a jornalitas.
“Isso eu acho que mudará para sempre as relações entre a sociedade brasileira, o Estado brasileiro e as empresas privadas. O fato de nós, neste momento, estarmos com isso de forma absolutamente aberta, sendo investigado, é um diferencial imenso”, completou a presidenta.
 
Dilma destacou que não se pode condenar a Petrobras como um todo, mas pessoas que praticaram atos de corrupção dentro da empresa.
 
“O que nós temos de condenar são pessoas. Pessoas dos dois lados: os corruptos e os corruptores. A questão da Petrobras é uma questão simbólica para o Brasil”, disse.
Segundo a presidenta, esta é a primeira investigação efetiva sobre corrupção no Brasil que envolve segmentos privados e públicos.
 
“Agora, nós podemos listar uma quantidade imensa de escândalos no Brasil que não foram levados a efeito. E, talvez, sejam esses escândalos, que não foram investigados, que são responsáveis pelo que aconteceu na Petrobras”, disse.
 
A presidenta ainda reafirmou que quem praticou atos ilícitos tem que ser punido, mas que responsabilizar a todos, inclusive quem não praticou, seria incorreto e beneficiaria os corruptos.
 
“A culpa tem de ser tipificada e identificada para ela poder ser, de fato, considerada culpa pela lei brasileira ou pela lei de qualquer país. Não há culpa genérica, há culpa concreta”, disse.
 
Na véspera, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou, em entrevista coletiva, que as investigaçõe sobre irregularidades na Petrobras vão continuar. “Doa a quem doer“, garantiu.
 
Fonte:  Agência PT de Notícias, com informações da Agência Brasil

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais