Ex-servidor da Alesp diz que pagava "pedágio" para deputados do DEM

Compartilhar

Os deputados Edmir Chedid e Aldo Demarchi, ambos do DEM e integrantes da base tucana na Alesp, recebiam "pedágio" pago por servidores da Assembleia. A denúncia foi feita por funcionários da Casa e está sob investigação do Ministério Público Estadual.

A reportagem aponta que os deputados eram beneficiados pelo esquema instalado na Assembleia Legislativa de São Paulo que lhes repassava parte do salário recebido por servidores. "O dinheiro, segundo relatos feitos a promotores por uma testemunha cujo nome vem sendo mantido sob sigilo, tinha como destino final deputados estaduais", diz a reportagem.

A reportagem da Rádio conversou com essa testemunha, que trabalhou durante nove meses na Assembleia durante a atual legislatura, e também ouviu outros cinco funcionários que permanecem na casa. Sob condição de terem seus nomes mantidos sob sigilo, todos confirmaram o pagamento, apelidado internamente de "rachid" e também conhecido como "pedágio". "É um segredo de ‘polichinelo’, que todo mundo sabe que existe", disse um desses funcionários.

Segundo a reportagem, a testemunha-chave ganhava R$ 3.400 e diz que tinha de devolver R$ 1.600 para os deputados. "Todo quinto dia útil do mês eu pegava o dinheiro no Banco do Brasil e levava até a Alessandra Crusco na sala do DSG (Departamento de Serviços Gerais). Ela repassava para o André Pinto Nogueira e ele dizia que esse repasse era para os deputados Aldo Demarchi e Edmir Chedid", afirmou a testemunha à Rádio.

O texto ainda diz que André Pinto Nogueira, servidor comissionado e que ganha aproximadamente R$ 18 mil, é um dos elos entre os servidores que tinham que devolver o dinheiro e os deputados. André atualmente está lotado na 2ª Secretaria da Assembleia, comandada por Edmir Chedid (DEM). Antes, ele trabalhou no gabinete de Aldo Demarchi (DEM). Alessandra Crusco, funcionária comissionada do Departamento de Serviços Gerais, é apontada como responsável por fazer o recolhimento de parte dos salários e repassá-los a André.

Negação

Ainda segundo a reportagem, os deputados negam qualquer conhecimento com a prática de devolução de salários, mas não apresentam qualquer prova. Em nota, Edmir Chedid afirma não ter conhecimento e que ainda não foi notificado sobre a denúncia. Por email, Aldo Demarchi disse ao Estadão "jamais tive conhecimento deste fato ou qualquer outro semelhante".

Fonte: Imprensa PT SP

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais