Obras públicas em São Paulo turbinaram caixa tucano

Compartilhar

Planilhas apreendidas pela Polícia Federal demonstram que a construtora Queiroz Galvão, empresa investigada pela Operação Lava Jato, vinculava doações ao PSDB e a candidatos tucanos a contratos de obras públicas. Segundo reportagem do jornal “Folha de S. Paulo”, publicada neste domingo (15), a empreiteira doou R$ 3,7 milhões ao diretório nacional do partido.

O documento em poder da PF indica um cálculo de doações que contém o recebimento de pagamentos pela construtora por obras como o Veículo Leve sobre Trilhos da Baixada Santista, o Contorno de São Sebastião e o Consórcio Monotrilho Leste. A planilha ainda faz referência ao senador eleito pelo PSDB, José Serra (SP).

O diretório estadual do PSDB, em nota, tentou desqualificar os documentos apreendidos que citam seus correligionários.

Para os tucanos, a descoberta da PF é “uma ginástica de blogs sujos pagos pelo governo federal para tirar o foco das investigações que desnudam a gestão petista na Petrobras”, apesar da matéria ser publicada pelo diário paulista.

A estratégia de tergiversar quando as acusações são contra seus parceiros foi repetida por Geraldo Alckmin.

Trensalão - O governador de São Paulo voltou a repetir a ladainha em que coloca o governo estadual como vítima de um “suposto cartel” no Trensalão, escândalo nas licitações nas companhias de trens e metrôs paulistas. Ele ignora o envolvimento de agentes públicos indicados pelo partido. “São Paulo não tem nada, nada comprovado, há uma suspeita de cartel onde o governo é vítima”, disse.

Por conta do escândalo do Trensalão, a Polícia Federal indiciou 33 pessoas e a Justiça Federal determinou, na última sexta, o bloqueio de R$ 614,3 milhões de empresas envolvidas no esquema que operou entre 1998 e 2008, nas gestões tucanas de Mário Covas, José Serra e Geraldo Alckmin.

Entre os indiciados está o atual presidente da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Mário Manuel Bandeira, mantido no cargo e defendido por Alckmin.

“O doutor Mário Manuel Bandeira entrou no Metrô em 1973. Ele tem 41 anos de serviço público como metroviário. Tenho uma impressão positiva”, afirmou o governador, durante uma inauguração em Diadema (SP), no último dia 6.

Outro inquérito em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF) investiga os deputados Rodrigo Garcia (DEM) e José Aníbal (PSDB) por possíveis irregularidades na contratação de obras do metrô paulista.

Fonte: Agência PT de notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais