PT quer juventude pela mobilidade urbana e contra violência

Compartilhar

 

 

Em 2015, um dos principais objetivos do partido será o de revigorar a juventude militante do PT. A ideia, conta o secretário Jefferson Lima, é a de realizar debates regionais sobre temas comuns ao jovem brasileiro, entre os quais, a questão da mobilidade urbana e possíveis estratégias para diminuir a violência no País.

Lima lembra da grande mobilização durante a campanha para reeleger a presidenta Dilma Rousseff, no ano passado, um marco, segundo ele, na história da secretaria.

“Houve forte articulação da juventude em diversas áreas, como os movimentos sociais, pelas periferias das cidades, com a área da cultura, movimentos negros, de mulheres”, explica o secretário de Juventude. “Enfim, tivemos um papel estratégico e, neste ano, vamos intensificar esse processo”, anuncia.

Essa articulação terá foco em alguns pontos prioritários, como o Projeto de Lei 4471, sobre os chamados “autos de resistência” policial, fonte permanente de mortes e abusos contra os direitos humanos, no Brasil. “Vamos trabalhar para que possamos aprovar o mais rápido possível, além de trabalhar junto ao Governo Federal para acabar com o extermínio de jovens negros no Brasil”, diz Lima.

Além disso, a Secretaria Nacional de Juventude do PT pretende colaborar ativamente no processo de fortalecimento interno do partido. Segundo Jefferson Lima, isso será feito nas instâncias municipais, estaduais e nacional. “Queremos ter um partido cada vez mais linkado nessa nova estrutura social que temos no Brasil”, explica.

Para o secretário, é preciso sintonizar mais o partido com as pautas da juventude e temas como a reforma política, a democratização dos meios de comunicação e a elaboração de leis contra a homofobia.

Lima prevê, para 2015, a realização do 3º Congresso Nacional da Juventude do PT. Por isso, diz, será preciso iniciar esse processo de colaboração nos níveis municipal, estadual e nacional. “Assim, poderemos aperfeiçoar nossas pautas políticas para renovar a militância, ao mesmo tempo em que estaremos sintonizados com essa diversidade social que existe no Brasil”, avalia o secretário.

Fonte: Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais