"Somos contra a censura e a autocensura", diz Dilma

Compartilhar

 

"No meu governo somos contra a censura, a autocensura, as pressões, os lobbies e os interesses não revelados", afirmou a presidenta Dilma Rousseff nesta terça-feira (31), em seu discurso durante a cerimônia de posse de Edinho Silva como ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (Secom).

Em sua fala, a presidenta deu grande destaque às liberdades de imprensa e de expressão; pontos que, segundo ela, norteiam o trabalho da Secom.

"Tenho reiterado, em várias circunstâncias, que preferimos o barulho das vozes e da democracia do que as falas escondidas nas ditaduras. Em meu governo, a Secom sempre terá como princípio inarredável, o direito de todos de se expressarem", afirmou Dilma.

"Eu gostaria de destacar que, desde que eu assumi o governo em 2011, a Secretaria de Comunicação Social atuou de acordo com os conceitos e princípios que sempre cultivamos com relação à imprensa. A liberdade de expressão e liberdade de imprensa, para mim, são uma pedra fundamental", disse a presidenta.

"Defenderemos sempre o direito à livre manifestação, mas defenderemos também o direito de defesa e de explicação de todos aqueles que forem objetos do contraditórios", complementou a Dilma.

Ao detalhar o motivo da indicação de Edinho Silva para o cargo, a presidenta afirmou que tomou a decisão com base na sensibilidade política do novo ministro que, de acordo com a presidenta, é fruto de sua experiência como parlamentar.

Dilma também agradeceu os serviços prestados pelo ex-ministro Thomas Traumann. "Eu queria registrar meu profundo agradecimento ao ministro Thomas traumann por ter emprestado à Secom seu prestígio de jornalista respeitado em todo o País e ter se dedicado com tanto afinco a um trabalho produtivo", disse.

Perfil

Graduado em Ciências Sociais na Unesp de Araraquara e Mestre em Engenharia de Produção na Universidade Federal de São Carlos, Edinho Silva é sociólogo e professor.

Nascido em Pontes Gestal, pequena cidade da região de São José do Rio Preto, Edinho mudou-se aos 4 anos de idade para Araraquara e foi eleito, na cidade, para os cargos de vereador, em 1992 e 1996, e prefeito, em 2000 e 2004.

Em 2010, se elegeu Deputado Estadual com 184.397 votos em mais de 500 municípios paulistas. Como deputado estadual, integrou as Comissões de Saúde, de Esportes, de Segurança Pública e Direitos Humanos.

Ainda como Deputado Estadual, Edinho presidiu as Frentes Parlamentares pela Elaboração Democrática do Plano Estadual de Educação e pela Citricultura.

Fonte: Portal Brasil

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais