Lula: Lutar contra a lei da terceirização é questão de honra

Compartilhar

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, na noite de quarta-feira (14), ser uma “questão de honra” não deixar aprovar a o Projeto de Lei 4330, que regulamenta a terceirização. A declaração foi feita durante a abertura do 9º Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT, em Guarulhos (SP).

Presidente de honra da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Lula disse que o projeto é uma forma de escravizar a mão de obra brasileira. Ele pediu que os sindicalistas não deixem de lutar pelos direitos dos trabalhadores, conquistados com muita luta nos últimos anos.

“Não podemos permitir que a infâmia, o mau-caratismo e a má fé de algumas pessoas destrua o que nós construímos a duras penas nesse país”, declarou o ex-presidente.

Para ele, esse é o momento de “levantar a cabeça outra vez” para defender os trabalhadores, mesmo que seja necessário fazer críticas ao governo.

“Temos que conversar e mostrar o que significa a aprovação dessa lei”, defendeu.

Segundo Lula, o diálogo entre os vários setores da sociedade, formalizado durante seu governo e perpetuado no governo da presidenta Dilma Rousseff, deve prevalecer.

“O grande legado que deixei foi essa relação que se estabeleceu com a sociedade brasileira”, afirmou.

Lula pediu também que as centrais sindicais e os movimentos sociais defendam a presidenta Dilma e as conquistas dos governos do PT.

“Deixem gritar ‘Fora Dilma’; quem tem que gritar ‘dentro’ é o nosso pessoal”, declarou.

O ex-presidente criticou a onda de pessimismo perpetrada pela mídia, que influência e prejudica outros setores da sociedade.

“Não vamos construir uma nação se continuarmos com esse grau de pessimismo que vemos aí. Por que no Brasil a gente desespera com tanta facilidade? Porque aqui temos um inimigo oculto, que se chama uma parte da imprensa brasileira”, ressaltou.

O ex-presidente também alertou sobre a campanha de difamação contra Dilma liderada por setores da imprensa brasileira e da oposição. Lula disse se tratar de uma “campanha institucionalizada” para criminalizar o PT e a presidenta.

“Estão fazendo com a Dilma o mesmo que fizeram comigo”, afirmou.

Lula ressaltou a urgência dos ajustes elaborados pela presidenta para recuperar o crescimento da economia e o esforço de Dilma para corrigir distorções do passado.

“É importante a gente fazer justiça e reconhecer. Tem gente que não sabe viver em adversidade. A Dilma não, ela aprendeu a viver em adversidade. Com 20 anos, estava sendo torturada. E naquele tempo não tinha delação premiada”, ressaltou.

Presente na cerimônia, o ator e ativista norte-americano Danny Glover elogiou a luta das centrais sindicais no Brasil e a história do ex-presidente Lula, o qual chamou de “meu herói”.

“A luta continua”, ensaiou Glover, em português.

O 9º Congresso Nacional dos Metalúrgicos da CUT vai até o dia 17 de abril e acontece em Guarulhos.

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais