Não podemos negar a política, pede Lula a jovens metalúrgicos

Compartilhar

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu, na noite de terça-feira (13), com centenas de jovens metalúrgicos na abertura do 8º Congresso dos Metalúrgicos do ABC Paulista.  No encontro, Lula voltou a criticar os delatores da Operação Lava Jato.

“Qualquer um pode falar qualquer coisa? Contando mentira? Até quando? Só o PT recebeu propina? E o PSDB?”, cobrou o ex-presidente.

“Um cara que já foi preso oito vezes, já mentiu em uma delação, tem autoridade moral para acusar alguém?”, questionou.

Para Lula, a corrupção “não é inerente a um partido”. “Os empresários que dão dinheiro para o PT são os mesmos que dão dinheiro para todos os outros partidos”, disse.

Durante o encontro, o ex-presidente lembrou que ninguém criou tantos instrumentos para combater a corrupção como ele e Dilma. Além disso, ele afirmou não aceitar as tentativas de perseguição e criminalização do PT.

“Porque só o dinheiro que o PT recebeu é propina? E o do PSDB, é do Criança Esperança?”, ironizou.

O ex-presidente ainda disse aos jovens ser contra a redução da maioridade penal, contra a criminalização da maconha e do usuário, a favor da punição do traficante.

De acordo com o coordenador da Juventude Metalúrgica do ABC, Alessandro Guimarães, a iniciativa de dialogar com os jovens foi do próprio ex-presidente. Segundo ele, Lula disse participou do encontro “menos para ensinar alguma coisa, e mais para aprender”.

Lula se mostrou preocupado com uma pesquisa realizada na porta de fábricas em setembro do ano passado que mostrou que pessoas antagônicas aos direitos trabalhistas chegaram a ter 30% dos votos dos metalúrgicos consultados.

“A gente não pode negar a política. A desgraça de quem não gosta de política é que é governado por quem gosta”, lembrou.

Contando momentos marcantes da sua história no movimento sindical, Lula relembrou os 35 anos da greve dos metalúrgicos do ABC em 1980. Na época, 140 mil metalúrgicos paralisaram suas atividades por 41 dias, durante a campanha salarial, em plena ditadura militar.

Além disso, o ex-presidente petista contou situações que vivenciou quando fazia parte da diretoria do sindicato.

O ex-presidente também abordou e respondeu questionamentos sobre reforma política e corrupção. Lula ainda falou sobre o ajuste fiscal proposto pelo governo da Presidenta Dilma Rousseff. Para ele, o Executivo deveria ter dialogado mais com o movimento sindical para resolver os excessos no seguro-desemprego.

Fonte: Agência PT

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais