Agosto será marcado por mobilização a favor da democracia

Compartilhar

 

O Partido dos Trabalhadores pretende levar militantes e correligionários de todo o Brasil às ruas, a partir da segunda quinzena de agosto. A intenção, segundo a secretária nacional de Mobilização do PT, Maristella Matos, é articular mobilizações a favor da democracia, da participação social e contra o discurso de golpe.

“As ações envolvem os diretórios municipais, regionais, estaduais e nacional. A ideia central é que os parlamentares, dirigentes partidários e os militantes se unam e façam atividades em suas regiões”, explica Maristella.

Alguns diretórios, como os de São Paulo, estão mobilizados há mais tempo. Um final de semana por mês, parlamentares, presidentes de diretórios, filiados e simpatizantes desenvolvem atividades mobilizadoras de rua e plenárias em alguma macrorregião.

“Cada diretório tem uma dinâmica diferenciada. Diretórios maiores devem contribuir com diretórios menores, encaminhando figuras públicas”, pontua Maristella.

A secretária informa que o partido está articulando para unir diversas agendas, como as do Instituto Lula, dos ministros, de governadores, senadores, deputados e dirigentes, de forma que estados onde haja mais figuras públicas as encaminhem para localizações onde o partido tenha menos figuras proeminentes.

“Diretórios maiores devem contribuir com diretórios menores, encaminhando figuras públicas. A ideia é que todos os parlamentares federais, estaduais, senadores, ministros, governadores montem agendas nos estados a partir das agendas deles. Estados com mais figuras públicas devem encaminhar para estados onde há menos”, afirma Maristella.

Segundo a secretária, a mobilização do partido está articulada com as mobilizações dos vários movimentos sociais, com a 5ª Marcha das Margaridas, manifestações de um ano de entrega de assinaturas pelo plebiscito da constituinte exclusiva e soberana da reforma política e as manifestações da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

“Nós estamos mobilizando a nossa base, que são os nossos militantes, dirigentes zonais, municipais, estaduais, nacionais e os movimentos sociais. O Lula, que é a nossa figura mais proeminente, se fará presente em algumas mobilizações, além do nosso presidente, Rui Falcão”, revela Maristella.

Fonte: Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais