Ninguém vai tirar a legitimidade que o voto me deu, defende Dilma

Compartilhar

 

A presidenta Dilma Rousseff declarou, nesta sexta-feira (7), sob aplausos, que a legitimidade do seu governo é assegurada pelo voto popular e que vai trabalhar “incansavelmente” pela estabilidade econômica, social e política do País.

“Devemos ter respeito entre os poderes”, afirmou.

“Sou uma pessoa que aguenta pressão, aguenta ameaça. Aliás, sobrevivi a grandes ameaças a minha própria vida. O Brasil de hoje é muito diferente daquele Brasil onde tive que enfrentar as mais terríveis dificuldades porque é uma democracia”, lembrou, durante cerimônia de entrega de 747 residências pelo Minha Casa Minha Vida em Boa Vista (RR).

“Uma democracia respeita a eleição direta e o voto popular. Eu respeito a democracia do meu País, sei o que é viver em uma ditadura, e pode ter certeza que além de respeitar honrarei o voto que me deram”, continuou.

Dilma Rousseff ressaltou que está na Presidência da República por escolha da maioria e que “ninguém vai tirar a legitimidade que o voto” deu a ela.

Em seu discurso, a presidenta lembrou que, durante as gestões petistas, o Brasil avançou muito e tirou milhões de pessoas da miséria. “Antes éramos principalmente um País de pessoas bem pobres. Hoje somos um País majoritariamente de classe média”.

De acordo com a presidenta, no entanto, ainda há muito por fazer. “Podem ter certeza que me dedicarei dia e noite, hora por hora, para garantir que o Brasil saia o mais rápido possível dessas dificuldades”, assegurou.

A presidenta anunciou que o governo federal está em fase final para a conclusão de convênio para a construção de um centro de radioterapia no estado, no valor de R$ 6,5 milhões.

Residências – A presidenta entregou 747 residências pelo Programa Minha Casa Minha Vida em Boa Vista, capital de Roraima. As unidades habitacionais beneficiarão famílias com renda de até R$ 1,6 mil.

Para a construção dos residenciais Ajuricaba, Pérola VI e VII foram investidos mais de R$ 46 milhões. Os condomínios contam com pavimentação, energia elétrica, redes de água e esgoto, transporte público, instituições públicas de ensino e centro de saúde.

Desde 2009, o programa habitacional entregou 3,9 mil residências em Roraima, para 15,6 mil pessoas.

As 200 unidades habitacionais do Residencial Ajuricaba fazem parte do Minha Casa Minha Vida Entidades, mantido com recursos do Fundo de Desenvolvimento Social e que atende a famílias integrantes de organizações sem fins lucrativos que lutam por moradia.

Em todo o País, essa modalidade do programa contratou aproximadamente 205 mil residências. Dessas, 150 mil são na área rural.

A presidenta da Associação de Donas de Casa do bairro Caranã, Carla Cristina Rocha, lembrou que as residências do Ajuricaba são fruto da luta por moradia dos integrantes da organização. Ela afirmou que o movimento teve todo o apoio da Caixa Econômica Federal e do Ministério das Cidades.

“A presidenta Dilma é amada em nosso estado. Cada uma das famílias gostaria de estar no meu lugar para lhe dar aquele abraço que eu dei quando de sua chegada”, disse.

Fonte:  Cristina Sena, da Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais