Lula diz que ‘voltou a voar outra vez’ e promete ‘incomodar’

Compartilhar

Incomodado com a constante perseguição da imprensa, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva declarou que voltará a “voar outra vez”. Com a promessa de dar “um pouco de sossego” à presidenta Dilma Rousseff, o petista prometeu viajar e dar mais entrevistas.

“Eu, agora, vou incomodar”, brincou.

“Vou ver se eles dão um pouco de sossego para a nossa querida Dilma e se incomodam comigo. Estou naquela fase de quem está esperando o dia da aposentadoria. Mas as pessoas não me deixam em paz. Os adversários, todo santo dia, falam meu nome”, declarou.

Na manhã deste sábado (29), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-presidente do Uruguai e senador pelo país, José Pepe Mujica, participaram de seminário organizado pela prefeitura de São Bernardo, em São Paulo.

Ao falar diretamente a Mujica, Lula disse: “Você só consegue matar um pássaro se ele ficar parado no galho. Se ele voar, fica difícil”. “Eu voltei a voar outra vez”, declarou, sendo aplaudido de pé pelo público presente que gritava seu nome.

Os dois ex-presidentes participaram do debate no Seminário Internacional Participação Cidadã, Gestão Democrática e as Cidades no Século XXI, organizado pela prefeitura local.

Legado - Na ocasião, Lula relembrou as experiências de participação popular criadas pelo PT ao longo de seus 35 anos e dá oportunidade que seu governo deu ao ouvir os trabalhadores e movimentos sociais dentro do Palácio do Planalto. E por isso, segundo ele, durante seus oito anos de mandato, as políticas não eram do governo, eram do povo.

“Se perguntarem qual foi o maior legado que deixei, foi a relação que o governo estabeleceu com a sociedade e com os movimentos sociais. Se juntar todos os presidentes do país, antes de mim, eles não fizeram 10% das reuniões que fizemos”, afirmou, lembrando que foram feitas 74 conferências nacionais, que começavam no municípios.

O ex-presidente Lula comentou também a situação política atual, especialmente a grande polarização na qual se encontra o Brasil. “De onde vem esse ódio? Será que uma parte desse ódio demonstrado contra o PT é porque as empregadas domésticas conquistaram mais direitos?”, questionou.

Uma das conquistas de seu trabalho em defesa dos trabalhadores citadas por Lula foi a criação do Partido dos Trabalhadores, que nasceu da necessidade de ter um trabalhador na política e, assim, garantir direitos básicos hoje como reivindicar melhores para a classe por meio de greves.

Mujica - O ex-presidente uruguaio, Pepe Mujica, foi o primeiro a falar e defendeu a importância dos partidos políticos para a manutenção das conquistas sociais dos cidadãos. Ele afirmou que a democracia requer partidos e que sem eles não há democracia.

“Os partidos são a vontade coletiva de grupos humanos. Os grandes meios nunca vão estar do lado do povo. São empresas, que atendem a outra forma de entender o mundo.

Para o uruguaio, “não há homens imprescindíveis, há causas imprescindíveis”.

Ao fim de sua fala, Mujica foi aplaudido em pé pelo público presente no auditório do Centro de Formação dos Profissionais de Educação (Cenforp).

Fonte: Agência PT de Notícias, com informações do Instituto Lula

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais