Marcio Pochmann: "A operação Zelotes coloca o dedo na ferida"

Compartilhar

 

Presidente da Fundação Perseu Abramo, o economista e professor da Unicamp, Marcio Pochmann, é o entrevistado da semana na #EntrevistaLD, do portal e da webrádio Linha Direta.

Na entrevista, o economista avaliou a conjuntura econômica, comentou o julgamento do TCU e apresentou os programas da FPA

Pochmann também falou sobre o documento "Por um Brasil mais justo e democrático", lançado por ele, em conjunto com outros 200 profissionais, entre economistas, advogados, urbanistas e intelectuais, com o objetivo de oferecer alternativas à crise econômica. Entre as propostas apresentadas, na entrevista, ele citou a revisão do papel do Banco Central, a política cambial e o indicador de inflação, o IPCA. "Na verdade, estamos oferecendo proposições que alterariam o tripé macroeconômico que vem sendo aplicado desde 1999.", diz.

Mesmo sofrendo com ataques da grande imprensa, ele avalia que o documento "Por um Brasil mais justo e democrático" já tem dado seus primeiros resultados e pode contribuir ainda mais para aprimorar o diálogo sobre a economia brasileira.

Ele ainda comentou os novos padrões de consumo e a qual deve ser a posição do governo Dilma pós-ajuste econômico. "Nós estamos no 10º mês do segundo mandato da presidenta Dilma e continuamos refém do curto-prazo. Estamos, de uma maneira geral, respondendo questões do ajuste fiscal. O ajuste da economia é importante, mas não é suficiente", diz. Segundo ele, um governo eleito para um mandato de quatro anos tem que apresentar propostas para médio e longo prazo e uma política pós-ajuste pode fazer o país voltar a crescer e ter mais condições de equilibrar as finanças públicas, além de dar sustentação as programas sociais.

O presidente da FPA ainda comentou sobre a possível volta da CPMF, a repatriação de capitais e a auditoria da dívida pública. Ele também falou sobre a importância da Operação Zelotes e o combate à sonegação de impostos. "A operação Zelotes coloca o dedo na ferida", diz.

Ele avalia que a Zelotes pode ser tornar um marco. "Nós temos a possibilidade dessa operação mostrar quem são os sonegadores, aqueles que corromperam funcionários do Estado, para poder ter privilégios, pagando menos impostos", frisa.

Segundo ele, no Brasil, existe um Estado muito corajoso para cobrar impostos dos pobres e, de certa maneira, menos cuidadoso na arrecadação dos ricos.

Ao final, ele deixou um recado à militância compreender que a conjuntura é difícil e exige reflexão, mas também de posição. Pochmann falou para a militância lembrar do que aconteceu em 1985, quando o Partido dos Trabalhadores decidiu não participar do Colégio Eleitoral na escolha indireta do presidente da República. "O passar do tempo mostrou que o PT estava certo e isso o tornou mais forte", diz.

"Nada dos ataques que estamos sofrendo agora, nos impedirá de continuar nossa trajetória para os próximos tempos", disse. O presidente da FPA concluiu frisando que o Partido dos Trabalhadores é o único com capacidade de transforar o Brasil, principalmente olhando para os que mais precisam.

Fonte: Cláudio Motta Jr | Linha Direta

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais