Petistas pedem “novo olhar” para as rádios e TVs comunitárias

Compartilhar

 

Os deputados Adelmo Leão (PT-MG), Afonso Florence (PT-BA) e Angelim (PT-AC) defenderam um novo olhar por parte dos governantes para as rádios e TVs comunitárias. A defesa foi feita nesta terça-feira (24) no lançamento da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Canais de Rádios e TVs Comunitárias. Adelmo Leão foi designado presidente da Frente Parlamentar.

“A inciativa de relançar essa frente tem o objetivo de fortalecer a democracia, a cidadania e a participação popular. Queremos consolidar esses canais como pilares da democracia. O importante é garantir uma programação plural, abrangente e de representatividade da população”, observou Adelmo Leão.

“É preciso uma política de comunicação pública e política para as TVs e rádios comunitárias do país, democratizando o acesso à educação e garantindo o financiamento destas atividades e entidades e rediscutindo os critérios de concessão comercial”, afirmou Afonso Florence.

Vice-líder da bancada do PT, Florence falou da importância da utilização das mídias com vistas ao interesse público, especialmente na disseminação da cultura e da educação no país. Para que isso ocorra, argumentou, é preciso ampliar a presença das rádios e TVs comunitárias e também diminuir o poder da grande imprensa.

“Disseminar os veículos de comunicação comunitários pelo Brasil é um primeiro passo para garantir que a população tenha acesso à informação que lhe forneça reais subsídios para atuar na sociedade e formar seu senso de cidadania”, defendeu Afonso Florence.

Para ele, a democratização da mídia no país passa, fundamentalmente, por coibir o uso político-partidário e eleitoral das mídias comerciais. “Ampliar a abrangência das comunitárias e o controle social sobre elas é a meta fundamental para avançarmos na democracia brasileira”, explicou.

Já o deputado Angelim ressaltou a importância da Frente e lembrou que as questões prioritárias das rádios e TVs comunitárias estão voltadas ao dia a dia da comunidade e essa temática não desperta o interesse das grandes empresas de comunicação. O deputado defendeu que o governo federal democratize também o acesso às verbas publicitárias que, segundo ele, quase sempre é abocanhada pelos grandes grupos comunicacionais.

“É importante que o governo priorize na destinação das verbas publicitárias a esses veículos que não têm apoio do mundo empresarial e precisam viver com dignidade”, salientou.

MPF- Afonso Florence elogiou a inciativa do Ministério Público Federal que pretende  desencadear ações contra 32 deputados federais e oito senadores que aparecem nos registros do Ministério das Comunicações como sócios de emissoras de rádio ou TV pelo país. Ele avalia que essas concessões não deveriam ter sido aprovadas no passado, incluindo também proibições de licenças a parentes de congressistas e a quem tenha conhecidos interesses políticos.

“As concessões públicas de mídias devem ser destinadas à Cultura e à Educação e têm sido destinadas à disputa política, muito normalmente com agendas reacionárias. Estas agendas veiculam a cultura da violência, do consumo, e acho que temos que aperfeiçoar a legislação e a fiscalização, garantindo que o ambiente da comunicação não seja contaminado por este tipo de interesse e garantindo a quem faz a comunicação comunitária absoluta liberdade de expressão”, finalizou Florence.

Fonte: PT na Câmara

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais