Movimento Negro não quer retrocessos e está mobilizado contra o golpe

Compartilhar

 

O Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo sediará, na próxima segunda-feira (14), ato do movimento negro em defesa da democracia, de mais direitos e contra o golpe. A atividade começa às 19h.

Em convocatória assinada pela CONEN, UNEGRO e APNs, o movimento frisa que o momento é para somar força aos movimentos populares do campo e da cidade, às centrais sindicais, aos partidos, aos movimentos de juventude, de mulheres, LGBT que defendem a democracia e são contra a instalação do processo de impeachment da presidenta Dilma.

Aberta a ativistas da luta de combate ao racismo, a atividade servirá como preparação para o grande ato do dia 16.

Confira a íntegra da convocatória:

Mobilização do movimento negro em defesa da democracia, dos nossos direitos e contra o golpe.

Diante da conjuntura adversa para a luta de combate ao racismo e pela eminência do conservadorismo avançar sobre a pauta da igualdade racial, precisamos apostar na unidade do movimento negro como ferramenta de resistência e luta contra a onda conservadora que busca revogar as mais minúsculas conquistas da população negra.

Nesse momento, além de nos mobilizarmos para garantir nossas conquistas e por mais direitos, precisamos nos juntar aos movimentos populares do campo e da cidade, as centrais sindicais, aos partidos, aos movimentos de juventude, de mulheres, LGBT que defendem a democracia e são contra a instalação do processo de impeachment da Presidenta Dilma.

Esse processo não tem base legal e jurídica, mas tem motivações oportunistas e revanchistas de Eduardo Cunha, o presidente do Congresso Nacional, atolado em escândalos de corrupção e a principal liderança dos deputados e deputadas (os mesmos que são favoráveis ao impeachment) que atacam os direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, das mulheres, dos negros e negras, da juventude, dos LGBT, que são favoráveis a redução da maioridade penal e defendem os projetos que ampliam o machismo, a homofobia, a violência que mata a juventude negra, os indígenas e os quilombolas.

Fora Cunha!

Além de defendermos a democracia, os nossos direitos e nos posicionarmos contra o golpe, há também a necessidade de nos posicionarmos contra o ajuste fiscal e por mudanças na política econômica do governo federal. Será principalmente sobre os ombros das trabalhadoras e trabalhadores negros e da população negra que pesará o ônus da crise. Será a maioria dos desempregados e desempregadas que sofrerá as piores consequências do contingenciamento de recursos nas áreas sociais, tais como saúde e educação.

Os nossos desafios são muitos. Para debatê-los e nos mobilizarmos para a defesa da democracia, dos nossos direitos e contra o golpe, convidamos os ativistas da luta de combate ao racismo para um ato que será realizado no dia 14 de dezembro, segunda-feira, às 19h, no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo.

Não vai ter golpe!

Serviço:
Mobilização do Movimento Negro em defesa da democracia, dos nossos direitos e contra o golpe.
Data: 14 de dezembro de 2015, segunda-feira
Horário: 19hs
Local: Sindicato dos Jornalistas de São Paulo
Endereço: Rua Rego Freitas, 530, Sobreloja, Fone 3217 – 6299

Assinam essa convocatória:
CONEN – Coordenação Nacional de Entidades Negras
UNEGRO – União de Negros pela Igualdade
APNs - Agentes de Pastoral Negros do Brasil

Fonte: Imprensa PT-SP

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais