Em resolução, PT determina estado permanente de mobilização

Compartilhar

 

O Diretório Nacional do Partido dos Trabalhadores definiu, em resolução política aprovada durante reunião nesta sexta-feira (26), como prioridades da legenda a manutenção do estado permanente de mobilização, a realização de plenárias para discutir as propostas econômicas apresentadas pela legenda e o fortalecimento de ações para a mobilização nacional que será realizada no dia 31 de março, em Brasília.

A ampliação da resistência antigolpista também passa pela denúncia da criminalização do PT e demais forças de esquerda, conduzida pela aliança entre agremiações de direita, grupos de comunicação e círculos do aparato repressivo-judicial do Estado. Essa ameaça à legalidade democrática parte do regime de delações sem prova, vazamentos seletivos e investigações unilaterais, tão marcante na Operação Lava Jato e outras de configuração semelhante, (conforme fatos elencados no documento “Em Defesa da Democracia” aprovado em resolução apresentada à parte) e em carta subscrita no início do ano por muitos dos mais prestigiados advogados e juristas do país”, diz o documento.

Leia a Resolução sobre Conjuntura, na íntegra.

O partido também divulgou, nesta sexta, o documento “Em Defesa da Democracia“, um texto com propostas econômicas para um “Programa Nacional de Emergência”, uma resolução sobre eleições e uma convocação da militância em defesa da Petrobras

PT 36 Anos - A reunião do Diretório Nacional acontece um dia antes da festa de aniversário do PT, no Rio de Janeiro. O evento está marcado para acontecer no Armazém da Utopia e promete contar com as principais personalidades do partido, além de show do sambista Diogo Nogueira e da bateria da Portela. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já confirmou presença no evento e há a expectativa de participação da presidenta Dilma Rousseff.

A Fundação Perseu Abramo (FPA) também promoverá, nesta sexta e no sábado (27), no Rio de Janeiro, o Seminário 36 Anos de Partido dos Trabalhadores: trajetória e desafios. O presidente do PT, Rui Falcão; o presidente da FPA, Marcio Pochmann; e o presidente do PT-RJ, Washington Quaqua; abrirão o seminário, que contará com transmissão ao vivo.

As mesas discutirão os desafios das cidades, transformações do capitalismo global e os rumos das esquerdas no Brasil. Estão confirmadas as participações do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad; da professora e urbanista, Ermínia Maricato; do professor e economista, Ladislau Dowbor; da psicanalista Maria Rita Kell e do professor e economista Eduardo Fagnani, entre outros.


Fonte:
Mariana Zoccoli, da Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais