Panama Papers: Lula, Dilma e PT não estão em lista de offshores

Compartilhar

 

A presidenta Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o Partido dos Trabalhadores não são citados nos documentos divulgados, no domingo (3), no caso ‘Panama Papers’.

Considerado o maior vazamento de documentos confidenciais já realizado no mundo, o caso chamado de ‘papéis do Panamá’ revelou o suposto envolvimento de diversos políticos, empresários e celebridades nacionais e internacionais em esquemas de lavagem de dinheiro e evasão fiscal. Há a inclusão de nomes, inclusive, de políticos brasileiros como o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o ex-senador e presidente do PSDB Sérgio Guerra, morto em 2014.

PANAMA-PAPERS

Os arquivos da empresa de advocacia do Panamá Mossack Fonseca mostram que o escritório criou ou vendeu empresas offshores para políticos brasileiros de partidos como PDT, PMDB, PP, PSB, PSD, PSDB e PTB, muitos deles envolvidos na Operação Lava Jato. Ao menos 57 brasileiros já relacionados à investigação da Polícia Federal aparecem nos documentos, ligados a mais de cem offshores criadas em paraísos fiscais. No Brasil, empresas offshore não são ilegais, desde que as transações sejam declaradas à Receita Federal.

Até o momento, o PMDB, do vice-presidente Michel Temer, foi a legenda com mais integrantes mencionados nos documentos da empresa panamenha. Eduardo Cunha, que já é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por seu envolvimento na Lava Jato e é acusado pela Procuradoria Geral da República de ter contas secretas no exterior, aparece no ‘Panama Papers’ como titular de ao menos uma offshore.

O tucano Sérgio Guerra, ex-senador e ex-presidente nacional do PSDB morto em 2014, também aparece na lista da Mossack Fonseca. Ele já foi citado por delatores da Lava Jato como destinatário de propinas relacionadas ao esquema de corrupção da Petrobras. Segundo os documentos, Guerra adquiriu uma empresa offshore com a esposa e um dos filhos.

Fonte: Luana Spinillo, da Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais