Em SP, Dilma anuncia elevação de recursos para programas sociais e garante novas conquistas

Compartilhar

Presidenta anunciou reajuste do Bolsa Família e correção do Imposto de Renda

 
 


Ao participar, na tarde deste domingo, do ato de 1º de Maio, no Vale do Anhangabaú, a presidenta Dilma Rousseff anunciou um pacote de reajustes em programa sociais e direitos trabalhistas. O reajuste no valor do Bolsa Família e a correção de 5% na tabela do Imposto de Renda são as principais novidades.

“Eles gostam de falar que o governo acabou, fazem isso numa tentativa de nos paralisar. […] Mas, enquanto isso, nós estamos estamos autorizando um reajuste no Bolsa Família, que vai resultar em um aumento médio de 9% para as famílias”, explicou a presidenta.

Durante os anúncios, Dilma lembrou que o índice de reajuste não foi inventado em cima da hora e faz parte da proposta de orçamento para 2016, enviado ao Congresso em agosto, e aprovado em seguida. “Esta proposta foi aprovada pelo Congresso e diante do quadro atual tomamos medidas que garantem o aumento na receita deste ano e dos próximos para viabilizar este aumento. Tudo isso sem comprometer o quadro fiscal”, garantiu.

Em seguida, a presidenta também anunciou a alteração na tabela do Imposto de Renda. “Estamos propondo uma correção no Imposto de Renda, uma correção de 5%”, avisou.

Ao se dirigir aos movimentos de moradia, ela ainda garantiu a contratação de “um mínimo” de 25 mil moradias do Minha Casa Minha Vida Entidades.

Para os funcionários públicos, ela anunciou o aumento do tempo de licença-paternidade. Com isso, os homens terão 20 dias, em vez de cinco, para ficar com os filhos recém-nascidos. “Estamos propondo a ampliação da licença-paternidade para os funcionários públicos, em vez de cinco, [vão] gozar de 20 dias. Estamos incentivando os homens funcionários públicos desse País a ajudar as mulheres”, afirmou.

Buscando ampliar o diálogo entre vários segmentos, a presidenta anunciou a criação do Conselho Nacional de Trabalho, que será tripartite com representação do governo da sociedade civil e dos empresários.

Dilma ainda falou que, na próxima terça-feira, o Governo Federal vai lançar o Plano Safra da Agriculta Familiar, que garante o financiamento à produção e à aquisição de alimentos, e lembrou o recente anúncio da prorrogação do Mais Médicos.

Fonte: Cláudio Motta Jr | Linha Direta

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais