A Executiva Nacional do Partido dos Trabalhadores se reuniu nesta terça-feira (31), em Brasília, com a presença do presidente nacional da legenda, Rui Falcão. Na pauta, estiveram debates sobre a conjuntura política, eleições municipais de 2016 e encontros setoriais. O encontro, que ocorreu na sede nacional do PT, ainda contou com a participação do secretário de Comunicação e vice-presidente, Alberto Cantalice; do secretário de Finanças, Marcio Macêdo; de outros membros titulares da Comissão Executiva Nacional, do líder do PT na Câmara, Afonso Florence; e do presidente do PT-SP, Emídio de Souza.

A Executiva Nacional do PT aprovou o texto de resolução com o título de “Não ao Golpe, Fora Temer, Em defesa da democracia, Nenhum direito a menos!” que aborda os últimos fatos políticos ocorridos no país que envolvem o governo golpista de Michel Temer e confirmam o caráter golpista do impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Executiva PT

 

No documento, o PT aborda o vazamento de áudios que derrubaram dois ministros golpistas: Romero Jucá e Fabiano Silveira. 

“Na última semana, pelo menos dois fatos confirmam o caráter golpista do processo de impeachment da presidenta Dilma: o vazamento dos diálogos gravados pelo ex presidente da Transpetro Sergio Machado e seus correligionários , como os ex-ministros Romero Jucá e Fabiano Silveira, e o anúncio das medidas econômicas propostas pelo governo golpista de Michel Temer”, diz o texto.

Além disso, o documento fala sobre a “compreensão sobre a natureza do golpe”, que cresce em diversos setores da sociedade brasileira. 

“Crescem as manifestações contra o golpe e em defesa da democracia no exterior, ganhando reforço e simpatia de muitos movimentos, partidos e blocos partidários. Merece destaque o papel da imprensa internacional no esclarecimento dos fatos e na produção de análises que oferecem expressivo contraponto aos setores da mídia brasileira oligopolizada que operou e tem sustentado o golpe”. 

Na resolução, o PT ainda faz um chamado para mobilizações contra o golpe e aprovou um “calendário de lutas”.


Eleições
O documento aprovado pelo PT também aborda as eleições deste ano. “Devemos estimular desde já o debate programático com forte ação partidária, que deverá ancorar-se na defesa do legado de nossos governos como contraponto em relação à agenda regressiva derrotada nas últimas eleições , proposta pelo governo golpista de Michel Temer”.

 

 

Fonte: Agência PT de Notícias