Frente Povo Sem Medo ocupa escritório da Presidência em SP

Compartilhar

 

Os manifestantes ocuparam o local na tarde desta quarta. Eles gritam "fora Temer" e "aqui está o povo sem medo, sem de lutar"

 

Frente Povo Sem Medo ocupa escritório da Presidência em SP

 

Frente 'Povo Sem Medo' ocupa escritório da presidência em São Paulo. Foto: Midia Ninja

 

A Frente Povo Sem Medo, sob coordenação do líder do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, ocupou, na tarde desta quarta-feira (1), a secretaria da Presidência da República em São Paulo. Eles protestam contra o governo golpista de Michel Temer e contra os cortes nos programas sociais como Minha Casa, Minha Vida.

Com gritos de “Não tem arrego, ou tira o Temer ou não vai ter sossego”, “Ocupar, resistir e morar aqui” e o já clássico “pisa ligeiro, quem não pode com a formiga, não atiça o formigueiro”, manifestantes entraram no prédio, que fica na Avenida Paulista, em frente ao metrô Consolação.

Truculência policial

A tropa de choque foi chamada para desocupar o prédio e a avenida e pelo menos quatro manifestantes foram detidos e levados ao 78º DP. A imprensa livre que cobria a cena também sofreu com a truculência da PM, que reprimiu a manifestação com spray de pimenta e bombas de gás lacrimogênio.

Uma manifestante que fotografava a ação foi agredida fisicamente por vários policiais; veja no vídeo abaixo:

Acampamento

De acordo com Boulos, os movimentos vão montar acampamento na Avenida Paulista, em frente ao escritório, como resposta à repressão que foi feita à manifestação em frente casa do Temer. “Nós não vamos recuar. Não é com porrada, não é com polícia que vai fazer o povo recuar nas ruas”, explicou.

Será organizado um esquema de revezamento para manter a ocupação, e esperam que a mobilização tenha o mesmo direito que tem sido dado aos manifestantes que ocupam a calçada em frente ao prédio da FIESP há mais de 70 dias. “Seria uma hiprocrisia sem tamanho a policia querer nos tirar daqui. Há três meses tem gente acampada na FIESP, nas mesmas calçadas da Avenida Paulista, sendo tratadas com filé mignon e selfie”, disse Guilherme Boulos em entrevista.

Em assembleia, o líder do MTST afirmou: “Daqui a gente não vai arredar pé. Estamos exercendo nosso direito a manifestação, que a gente acha que ainda existe nesse país. Não vamos dar nenhum passo atrás por conta de ação covarde contra o povo”. Boulos reforçou o pedido para que os manifestantes ocupassem apenas a calçada e não a avenida, fechando a passagem de veículos, conforme acertado com a Polícia Militar.

“Vamos nos manter aqui, de cabeça erguida, até que esse governo devolva as moradias que tomou”, disse, referindo-se ao desmonte dos programas de casas populares pelo governo golpista de Michel Temer. “O povo está aqui com uma só voz e só um objetivo. Vamos mostrar pra Michel Temer a resistência do povo” E concluiu: “Não vamos sair com o rabo entre as pernas, que é o que eles querem. Seguimos firmes. Estamos mais fortes do que nunca”.

Fonte: Agência PT

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais