Com Temer, voltou o ‘complexo de vira-latas’ do Brasil, diz Lula

Compartilhar

 

 

Em discurso para mais de 100 mil pessoas na Paulista, em SP, o ex-presidente voltou a condenar as tentativas de criminalização do PT. Ele criticou duramente o golpista Michel Temer

 
 


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou, na noite desta sexta-feira (10), de ato em defesa da democracia, contra o golpe e pela volta da presidenta Dilma Rousseff em São Paulo, na Avenida Paulista. Para mais de 100 mil pessoas, Lula condenou o governo golpista de Michel Temer e afirmou que, com José Serra no Ministério das Relações Exteriores, o País retomou o “complexo de vira-latas”.

“Eu vi uma entrevista do Serra no Roda Viva. Voltou o complexo de vira-latas. O ministro Serra reconheceu que o Brasil não pode se meter nas coisas de países grandes, nós temos que reconhecer o nosso lugar. A gente não é respeitado porque é rico, grande, tem bomba atômica… Os EUA seriam muito mais respeitado se fossem generosos com o resto do mundo. Para andar de cabeça erguida a gente não tem que ser melhor ou pior, tem que ser igual”, disse.

“Essa gente que está lá (no governo Temer) aprendeu a ser serviçal, a abaixar a cabeça para aqueles que colonizaram a gente ao longo do tempo. Nós temos que levantar a cabeça e dizer: nós somos brasileiros, temos orgulho disso e nós vamos fazer deste país uma grande potência”, completou o ex-presidente.

Durante o ato, o ex-presidente voltou a condenar as tentativas de criminalização do Partido dos Trabalhadores e também se disse “cansado” de ver acusações contra ele e sua família. “Eu não perdoo a atitude de vazamento ilícito de conversas minhas com ninguém”, falou, ao denunciar um “conluio de setores do Ministério Público, da Polícia Federal e da mídia tradicional”.

“Quem não morreu de fome até os 5 anos de idade, não tem medo de ameaças neste País”, continuou.

Lula ainda enviou um recado ao presidente interino e golpista Michel Temer: “Você sabe que não agiu correto assumindo a Presidência interinamente, por favor permita que o povo retome o poder da Dilma e participe das eleições em 2018″.

O ex-presidente exaltou a luta dos estudantes que estão ocupando escolas, as mulheres contra a cultura do estupro e os artistas em defesa do Ministério da Cultura. “(É preciso) Lutar para que o governo reconheça que não pode existir democracia se não houver um ministério das Mulheres”. “Não entendem de educação, não entendem de esporte e não entendem de cultura”, disse Lula sobre o governo golpista de Temer.

“Se a solução desse pais fosse diminuir ministério, era melhor diminuir o da Fazenda, do Planejamento e deixar os ministérios que cuidam de gente, de velhos, de mulheres e de homens”, afirmou. “Eles têm medo dos bancos e empresas públicas porque não sabem governar. Eles só sabem privatizar”.

Para Lula, não existe maior demonstração do golpe dentro do golpe do que aconteceu depois que a presidenta Dilma foi afastada. “O Temer não agiu como interino, ele assumiu como se fosse e com a mesma liberdade, autonomia e autoridade que Fidel Castro em Havana. O Fidel tinha autoridade, tinha feito a revolução e tinha votos. Temer não”.

 

Fonte: Redação da Agência PT de Notícias

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais