Temer é um intruso nas Olimpíadas, critica Dilma

Compartilhar

 

 

Para presidenta eleita, golpista “se apropriou da festa”. Ela afirma que os Jogos Olímpicos serão um ótimo momento para a população denunciar o golpe

Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta eleita Dilma Rousseff afirmou, em entrevista ao jornal “El Mundo”, da Espanha, que o presidente interino e golpista Michel Temer é um intruso na cerimônia de abertura das Olimpíadas do Rio de Janeiro.

“Imagine que você vai dar uma festa, trabalha durante anos, monta as condições, convida a imprensa e no dia dessa festa alguém chega, toma seu lugar e se apropria dessa festa”, afirma a petista.

Para Dilma, Temer não apenas a traiu como também conspirou com seu aliado, o então presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, para que o golpe vingasse.

De acordo com ela, muitos brasileiros foram ludibriados pelos meios de comunicação e acabaram apoiando o golpe. Agora, se sentem enganados ao perceber que seus direitos serão suprimidos.

A presidenta afirma também confiar na instituições e na Justiça. “Não creio que nenhuma instituição participaria do golpe. Nem o Judiciário, nem o Legislativo, nem as Forças Armadas. O que houve foram membros de todas as instituições que participaram de alguma forma”.

Mobilizações contra o golpe
Dilma se diz, ainda, entusiasmada com as mobilizações da esquerda contra o golpe em andamento.

“A esquerda se mobilizou bastante depois da votação na Câmara, houve marchas em 26 cidades. A partir de agora creio que voltarão a fazer. Estamos para começar os Jogos Olímpicos e pode dar uma visibilidade maior aos movimentos”.

Em contraposição, ela não acredita que as manifestações pró-impeachment conseguirão mobilizar a população como há alguns meses.

Ódio nas redes
“Vem crescendo as mensagens de intolerância e preconceito contra a liberdade das mulheres e também a homofobia estimulada por setores da oposição e parte dos meios de comunicação. Mas, também, vem crescendo a reação a esse ódio”, analisou Dilma.

A presidenta lembrou que o Brasil é um Estado laico onde não é aceitável que se assumam posições religiosas para analisar as leis, como pretendia Cunha quando era presidente da Câmara.

Sobre as perseguições promovidas contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma afirma confiar totalmente no líder petista.

“Lula é um homem íntegro e correto, que tem sido alvo de uma perseguição. As pesquisas mostram que é um nome forte para as eleições de 2018. Não acredito que Lula será preso. Se for, haverá uma grande comoção no país. O presidente Lula vai saber responder às acusações de forma correta e mostrar seu compromisso com a justiça do País”.

Fonte:  Agência PT de Notícias, com informações do “El Mundo”

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais