Duvivier, Patricia Pillar e outros artistas dizem “não ao golpe”

Compartilhar

 

 

“País está sendo entregue, sem nenhum voto, à uma direita corrupta e mafiosa”, escreveu Patricia Pillar. Duvivier e Céu também se manifestaram

 

 

No dia em que a presidenta eleita Dilma Rousseff está no Senado para responder a perguntas dos senadores, as redes sociais foram tomadas por uma série de manifestações de repúdio ao golpe.

O jornalista e escritor Fernando Morais, a cantora Céu, as atrizes Maria Casadevall, Patricia Pillar e Maeve Jinkings e o humorista Gregório Duvivier postaram mensagens criticando o afastamento ilegítimo de Dilma.

Fernando Morais fez diversas postagens enquanto a presidenta estava no Senado e elogiou sua postura: “Dilma está dando um banho nos senadores”.

Em uma delas, Morais ironizou o rebuscado discurso de posse do interino Michel Temer:



Patricia Pillar fez 3 postagens, enquanto Dilma fazia o discurso e debatia com os senadores:



Em sua página oficial no Facebook, a atriz escreveu: “Acorda, Brasil! O País está sendo entregue, sem nenhum voto, à uma direita corrupta, obscurantista e mafiosa, q não tem nenhum compromisso com as pessoas mais pobres do Brasil! Este não é o futuro que eu quero! Sou contra!!!”. As atrizes Letícia Sabatella e Joana Limaverde compartilharam.

Patricia relembrou ainda o escândalo envovendo Romero Jucá, integrante do governo golpista. Em conversas telefônicas, o então ministro revelou que o objetivo, ao afastar Dilma, era frear investigações de corrupção.



Já a cantora Céu postou uma foto da presidenta tirada durante a manifestação realizada em Brasília na última quarta-feira (24) e reforçou sua posição contra o golpe.



Esta mesma foto – tirada por Lula Marques, fotógrado da Agência PT de Notícias – foi usada, no Instagram, por Maria Casadevall e Gregório Duvivier para acompanhar suas manifestações de repúdio ao impeachment.

“Taí uma mulher que nunca fugiu à luta. Mesmo critico do governo dela, não consigo não me emocionar com a força e a coragem dessa mulher que nunca abaixou a cabeça. É exatamente por isso que foi torturada, é exatamente por isso que está caindo: porque nunca se rendeu. Num país em que nenhum torturador foi julgado por seus crimes, num país em que Temer, Cunha, Renan e Aécio nunca foram julgados por seus crimes, a queda de Dilma só prova que, nesse país, tudo é perdoável, menos a honestidade. Dilma cai de pé. E atirando”, escreveu Duvivier.

Maeve Jinkings reproduziu uma charge do jornal norte-americano “New York Times” em que a presidenta aparece cercada de ratos:



O cineasta Jorge Furtado escreveu:



Enquanto isso, a hashtag #PelaDemocracia ficou em primeiro lugar no trending topics do Twitter, sendo o assunto mais comentado pelos internautas. Na mesma rede, o termo ‘Dilmãe’ alcançou a sexta colocação. Militantes contra o golpe também realizaram tuitaço com a hashtag #DilmaÉinocente.

Na noite de domingo, artistas e intelectuais divulgaram um manifesto de apoio a Dilma. Caetano Veloso, Camila Pitanga, Chico Buarque, Wagner Moura, Letícia Sabatella e Paulo Betti são alguns do que assinaram o texto.

 

Fonte: Redação da Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais