Para Lula, eleger Haddad é assumir um compromisso com o futuro

Compartilhar

 

 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou na noite desta sexta (9) da “Plenária trabalho e desenvolvimento na cidade de São Paulo” ao lado do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, seu candidato a vice, Gabriel Chalita, o presidente do PT, Rui Falcão, e representantes dos movimentos sindical e sociais. A plenária aconteceu na quadra do Sindicato dos Bancários, no centro de São Paulo.

Para o ex-presidente Lula, quem não concorda com a retirada de direitos que está em curso no país deve votar no candidato do PT nas próximas eleições, “quem acredita no futuro desta cidade só pode votar na chapa Fernando Haddad e Gabriel Chalita”.

Lula falou de seu orgulho em ter tido Haddad como seu ministro da Educação, “o melhor ministro que este país já teve em toda sua história”. E elogiou a dupla com Gabriel Chalita. “Haddad foi meu ministro da educação, o melhor ministro da educação que esse país já teve. Veja que coisa. Nenhuma cidade deste país teve o privilégio de ter como candidatos a prefeito e a vice duas pessoas especialistas em educação”.

Eleger Haddad é assumir um compromisso com o futuro deste país”, Lula

As falas da noite foram marcadas também pela crítica às políticas de retirada de direitos praticada pelo governo ilegítimo. “Quero ter uma conversa com cada sindicalista, cada trabalhador, cada um de nós que está preocupado com a saúde, com a educação e com o futuro desta cidade. Eleger Haddad e Chalita é assumir um compromisso com o futuro deste país”.

Lula mandou um recado às pessoas contrariadas com o novo governo e que estão saindo às ruas para protestar. “Só tem duas candidaturas em São Paulo que não tem nada a ver com o golpe. Porque os outros representam exatamente a maioria de deputados e senadores que afastaram a presidenta Dilma. E a gente não pode não querer uma pessoa que está a mil quilômetros fora, ao mesmo tempo que escolhe ela pra vir pra dentro de casa, aqui em São Paulo”.

Foto: Paulo Pinto / AGPT

“Quem quer que esse país seja algo mais do que exportador de soja e minério de ferro não tem outra opção a não ser votar no Chalita e no Haddad”, afirmou o ex-presidente. “Ele tem a obrigação de mostrar para o povo que se ele não voltar, esta cidade vai perder tudo o que foi feito. E foi feito muito”.

Fernando Haddad

Em seu discurso, Fernando Haddad agradeceu Lula, enfatizando que sua figura é uma grande inspiração para qualquer pessoa que se propõe a fazer do Brasil um País mais igualitário.

O prefeito ressaltou que o que está em jogo em São Paulo com a sua reeleição é “a manutenção do projeto que a gente representa e que efetivamente mudou a vida das pessoas”. E lembrou que os indicadores de educação da cidade, em apenas quatro anos, foram os que mais avançaram dentre todas as capitais do Brasil, chegando ao nível médio de cidades européias.

Haddad destacou o trabalho de sua gestão na periferia da cidade, especialmente sobre mobilidade urbana. “O que chegou na periferia foi o corredor de ônibus e a faixa exclusiva, que devolveu quatro horas para a vida do trabalhador”.

Sobre os outros candidatos, afirmou que eles não sabem o que fazer na cidade. “Não tem argumento do lado de lá que vai diminuir nosso governo. Eles não têm propostas para São Paulo, o que apresentam não é novo – e o que é novo não é bom”, reforçou.

Sobre a campanha eleitoral, Haddad mostrou-se animado: “Quatro dias antes da eleição de 2012, eu estava com 19% das intenções de voto segundo as pesquisas. Terminei o primeiro turno com 29%. de votos nas urnas”, lembrou.

“Quem me motivou foram vocês, e não as pesquisas”.

Convidando toda a militância a engajar-se na campanha, pediu: “Não vamos esmorecer! A população já sabe o que o governo fez: 3 hospitais, 33 Hospitais Dia, 403 creches, praças Wi-fi livre… Se explicarmos de coração, de peito aberto, o que está em jogo nessas eleições, não tenho dúvidas de que vamos para o segundo turno”, encerrou.

Fonte: Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do site Lula.com.br

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais