Movimentos sociais, estudantis e sindicais se organizam contra PEC 55

Compartilhar

 

 

Manifestantes vão a Brasília contra a PEC 241 (Foto Lula Marques/Agência PT)

Manifestantes vão a Brasília contra a PEC 241 (Foto Lula Marques/Agência PT)

No dia 29 de novembro o Senado irá votar a Proposta de Emenda à Constituição PEC 55, aprovada na Câmara como PEC 241, que impõe um teto de gastos pelos próximos 20 anos. Na prática, a medida congela o orçamento de áreas chaves e irá gerar defasagem em relação ao PIB e ao crescimento populacional.

Centrais Sindicais, organizações estudantis e movimentos sociais já se organizam para ir até Brasília pressionar os parlamentares nesta data e na votação em segundo turno, que ocorre dia 13 de dezembro.

Para o secretário-geral da Central Unificada dos Trabalhadores (CUT), Sérgio Nobre, quem representa a classe trabalhadora não pode se omitir de buscar frear mais um capítulo do retrocesso que os golpistas tentam impor à população.

Segundo Nobre, “a CUT enxerga o golpe que os trabalhadores estão sofrendo, o maior ataque aos direitos trabalhistas que já tivemos na história brasileira. Por isso, se alguém quiser defender o que está sendo feito, tem toda a liberdade, mas deve assumir o ônus disso”.

“Nós entendemos que esse é um governo ilegítimo, fruto do golpe, e que está tomando medidas negativas para o presente e futuro de todos os brasileiros”, apontou.

O dirigente disse também que a Central participará de atos unificados no próximo dia 25 onde há uma articulação regional envolvendo as centrais sindicais.

“Temos (as centrais sindicais) pensamentos diferentes, mas temos compromisso de fazermos atividades conjuntas onde há unidade. Temos unidade contra reforma da Previdência, em defesa da saúde, da educação, contra a PEC 55, contra e reforma trabalhista e na defesa do emprego”, falou.

Estudantes

Diretores da União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e a Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) presentes em uma reunião aberta na Universidade de Brasília nos últimos dias 14 e 15 de novembro com representantes de ocupações estudantis de todo o Brasil aprovaram uma resolução de Conjuntura que convoca todos para a luta nos próximos dias.

No dia 25 de novembro eles participarão das mobilizações nas capitais em conjunto com os trabalhadores e movimentos sociais e no dia 29, uma grande caravana de estudantes e entidades educacionais vão sair de diversos estados até a capital do país para pressionar os parlamentares.

Fonte: Agência PT de notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais