Advogados de Lula suspeitam de interferência dos EUA na Lava Jato

Compartilhar

 

 

Em depoimento no Paraná, delator afirmou que foi procurado pelo governo dos Estados Unidos “para buscar um interesse, entendimento entre as partes”

O advogado Cristiano Zanin Martins (foto: Paulo Pinto/Agência PT)

O advogado Cristiano Zanin Martins (foto: Paulo Pinto/Agência PT)

O depoimento do ex-executivo da Camargo Corrêa,Eduardo Leite, na audiência em que Luiz Inácio Lula da Silva é réu na Operação Lava-Jato, levantou a suspeita dos advogados do ex-presidente sobre a existência de interferência norte-americana na Operação Lava-Jato, comandada pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro.

No depoimento, realizado na segunda-feira (21) na Justiça Federal em Curitiba (PR), o advogado Cristiano Zanin Martins  perguntou a Leite: “O senhor firmou o acordo de colaboração premiada com o Ministério Público. Também firmou, ou está firmando, com algum órgão dos Estados Unidos?”.

A conversa se desenrolou da seguinte maneira:

Leite: Não, ainda não.
Advogado: Ainda não significa o quê?
Leite: Que eu posso vir a firmar, mas hoje não tenho nada firmado com o governo americano.
Advogado: O senhor está em negociação?
Leite: Também não. Eu fui procurado pelo governo americano no intuito de buscar um interesse, entendimento das partes.
Advogado: Qual foi o órgão que procurou o senhor?
Leite: [inaudível]
Advogado: E o senhor comunicou isso ao Ministério Público ou ao juízo?
Leite: Com certeza. Isso foi partilhado junto ao Ministério Público.
Advogado: A quem especificamente o senhor comunicou?
Leite: Não sei. Meus advogados que podem lhe informar.
Advogado: Ao Ministério Público e ao juízo?
Leite: Não sei lhe dizer. Quem pode lhe informar é meu advogado.
Advogado: Em que status estão essas tratativas?
Leite: Do mesmo jeito que elas começaram. Na verdade, foi uma busca do governo americano através da força-tarefa, no qual nós fomos procurados para saber o intuito, o interesse de haver um partilhamento, da gente participar de um processo…
Advogado: Essa demanda dos Estados Unidos veio através da força-tarefa?

Nesse momento, o procurador Diogo Castor de Mattos interrompeu o advogado: “Essas perguntas já foram indeferidas, relativas a colaboração do exterior”. Em seguida, Sérgio Moro afirmou: “A outra testemunha disse que não ia responder, que não se sentiu segura. A testemunha está respondendo e o defensor dela está aqui presente. Então, se tiver algum óbice, imagino que…”.

O advogado de Lula protestou a ambos: “Se isso não tem relação alguma com os autos… Eu não sou obrigado a adiantar a vossa excelência as estratégias da defesa”.

Tratado de 2001

A suspeita dos advogado de Lula sobre a interferência do governo dos Estados Unidos na Operação Lava Jato, caso se mostre real, confirmaria interferência estrangeira na Justiça e na soberania nacional.

Em tratado firmado entre os governos do Brasil e dos Estados Unidos em 2001, ficou acordado que o Ministério da Justiça tem a exclusividade para tratar questões do tipo. Nunca um juiz de primeira instância.

“A revelação feita em audiência de que o Ministério Público Federal estaria trabalhando junto com autoridades americanas parece não estar de acordo com o tratado que o Brasil firmou em 2001 com os Estados Unidos que coloca o Ministério da Justiça como autoridade central para tratar esse tipo de questão”, disse o advogado do ex-presidente à “Folha de S. Paulo”.

Em nota, o Ministério Público Federal afirmou que “o assunto em questão é sigiloso” e que, portanto, não se manifestaria.

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais