PT lamenta morte do Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns

Compartilhar

 

 

O Partido dos Trabalhadores divulgou nota, nesta quarta-feira (14), em que lamenta a morte do Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo-Emérito da Arquidiocese de São Paulo. Conhecido como uma das mais importantes referências na defesa da democracia e dos direitos humanos, Arns faleceu aos 95 anos, ainda nesta quarta. Ele estava internado desde o dia 28 de novembro com problemas pulmonares.

“Dom Paulo deixou sua marca na vida de milhares de militantes políticos e sociais da resistência democrática aos anos de chumbo da ditadura militar, muitos dos quais devem a ele a vida, a integridade física e moral e as condições para continuar lutando. Sua voz profética de denúncia da ditadura militar, da tortura, da violação permanente aos direitos civis e sociais do povo brasileiro, ecoava em todo o país e na comunidade internacional”.

“Sua presença solidária nunca será esquecida pela geração de sindicalistas, trabalhadores do campo e da cidade, moradores das periferias urbanas e dirigentes de movimentos sociais que se forjou naquele período histórico, e que tanta influência teve na construção de nosso Partido nos anos 80”, diz a nota, assinada pelo presidente nacional do PT, Rui Falcão.

 

Leia a nota:

“O Partido dos Trabalhadores se associa ao luto do povo brasileiro pela perda de uma de suas mais importantes referências na defesa da democracia e dos direitos humanos: faleceu hoje, aos 95 anos, o Cardeal Dom Paulo Evaristo Arns, Arcebispo-Emérito da Arquidiocese de São Paulo.

Dom Paulo deixou sua marca na vida de milhares de militantes políticos e sociais da resistência democrática aos anos de chumbo da ditadura militar, muitos dos quais devem a ele a vida, a integridade física e moral e as condições para continuar lutando. Sua voz profética de denúncia da ditadura militar, da tortura, da violação permanente aos direitos civis e sociais do povo brasileiro, ecoava em todo o país e na comunidade internacional. Sua presença solidária nunca será esquecida pela geração de sindicalistas, trabalhadores do campo e da cidade, moradores das periferias urbanas e dirigentes de movimentos sociais que se forjou naquele período histórico, e que tanta influência teve na construção de nosso Partido nos anos 80.

A sociedade brasileira deve a Dom Paulo, neste momento de regressão democrática, mais que reverência e respeito. Devemos a ele, enlutados, a reafirmação dos direitos fundantes da Nação brasileira, inscritos na Constituição Federal hoje rasgada pelo golpe, e a dedicação do melhor de nossos esforços à defesa da democracia, dos direitos humanos e das conquistas dos mais pobres, a prioridade da vida do “Cardeal do Povo”. O “Cardeal da Esperança” continua nos instigando a lutar, lutar sempre, por um Brasil justo e solidário, democrático e participativo.

Dom Paulo Evaristo Arns, Presente!!!

Brasília, 14 de dezembro de 2016

Rui Falcão – Presidente Nacional do PT”

 

Fonte: Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais