Veja a atuação do PT da capital em 2016

Compartilhar

 

Este foi um ano intenso para o PT. A ofensiva da direita culminou com o golpe jurídico/midiático/parlamentar, o impeachment da presidenta Dilma, a criminalização do PT e de seus integrantes, a perseguição seletiva da Lava Jato e a derrota nas eleições municipais em São Paulo.

Pela retomada da democracia e a defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras, o país mais do que nunca precisa de um PT forte e revigorado, que dialogue com sua base social, numa conjuntura extremamente difícil para classe trabalhadora.

A série de atividades realizadas pelo Diretório Municipal do PT - São Paulo destaca a luta da militância no decorrer deste ano.

Em fevereiro, o PT da capital realizou a comemoração de 36 anos do partido com a presença do prefeito Fernando Haddad. As Caravanas do PT com Haddad começaram em março e ocorreram aos sábados em todas as regiões da capital paulista. Durante os eventos, Haddad fez uma prestação de contas sobre as realizações da sua gestão na cidade. Os presidentes dos Diretórios Zonais e parlamentares compuseram a mesa e militantes falaram sobre as necessidades das regiões onde as atividades aconteceram.

De março a julho, foram realizadas nove Caravanas: na sul 1 em Interlagos, na sul 2 em M’Boi Mirim, na sudeste em Jabaquara, na leste 1 em São Mateus, na leste 2 em São Miguel Paulista,  na leste 3 em Guaianases, na zona noroeste na Lapa, na região norte em Santana e na zona Centro e Oeste na Liberdade.

A abertura do processo de discussão sobre programa de governo para reeleição do Haddad foi realizada dia 09 de junho. O evento lotou o auditório da Uninove Vergueiro. O coordenador do programa de governo e deputado federal Vicente Cândido, junto com a comissão que inclui a executiva do PT municipal, anunciou nesta atividade a abertura de um ciclo de discussões com a sociedade civil e movimentos populares para elaborar o programa de governo da gestão Haddad 2017-2020. Ao todo, 10 grupos temáticos se reuniram aos sábados, nas salas das Universidades Mackenzie, Uninove e Zumbi dos Palmares para desenvolver o programa de governo nos meses de junho, julho e agosto.

Paralelamente as discussões sobre as conquistas da gestão Haddad e o processo eleitoral, o PT participou e organizou atividades de resistência ao golpe. Após o resultado das eleições em São Paulo que se encerrou no 1° turno, a atuação partidária permaneceu. Foram realizadas reuniões e plenária de avaliação do resultado das eleições e das ações de desmonte de direitos do governo Temer.

O PT da capital agora se organiza para o PED (Processo de Eleições Direta) 2017 que acontecerá no dia 12 março. Em breve será divulgado o calendário atividades para o próximo ano.

Luta contra o golpe

Devido à aceleração do processo de impeachment da presidente Dilma, as Caravanas do PT com Haddad começaram a dialogar também sobre a iminência do golpe. Em abril, o formato original das Caravanas foi adaptado e o enfoque principal passou a ser a defesa da democracia e o impacto do golpe com processo de impeachment da presidenta Dilma.

Foram realizadas três Caravanas pela Democracia na região leste em São Mateus, noroeste na Brasilândia e sul na Capela do Socorro. A ideia foi realizar atividades nas regiões, em locais abertos para participação do público em geral. As Caravanas de prestação de contas com Haddad voltaram no dia 14 de maio e ocorreram até o início de junho.

Também foi realizada em abril a Plenária contra o golpe com a participação do líder do MST (Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Teto) Gilmar Mauro. Em maio (25), após a votação do impeachment na Câmara, o DM chamou reunião ampliada com a  participação do presidente nacional do PT, Rui Falcão e do presidente estadual da  CUT, Douglas Izzo. Ambas atividades ocorreram no auditório do Sindicato dos Químicos, na Liberdade.

O PT da capital foi atuante em todas manifestações contra o golpe chamadas pelas Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, que aconteceram na Avenida Paulista, Praça da Sé, Vale do Anhangabaú e Largo da Batata. Teve um papel importante para implantação do Acampamento de Resistência Contra o Golpe, na Praça do Patriarca.

Durante o acampamento ocorrido no mês de abril foram realizadas aulas públicas sobre o impacto do golpe. Entre as personalidades que ministraram as aulas estavam Laura Capriglione dos Jornalistas Livres, Armando Coelho Neto, ex-policial federal, parlamentares e membros de movimentos sociais.

Eleições 2016

Além das atividades de campanha, o Diretório Municipal promoveu discussões para elaboração do programa de governo para próxima gestão Haddad, Conferência, Encontro e Convenção. Todas as atividades tiveram como objetivo engajar a militância no processo eleitoral. Após a eleição, também houve eventos de avaliação da campanha eleitoral.

Em junho, nos dias 24 e 25, o PT realizou a Conferência Eleitoral para ouvir a militância dos Diretórios Zonais e dos setoriais do partido sobre tática eleitoral e política de alianças - 2016. O evento aconteceu no auditório da Uninove Vergueiro. 

O 19° Encontro Municipal do PT-SP aconteceu no dia 23 de julho, na Uninove Barra Funda.  A atividade aprovou diretrizes para o programa de governo, diretrizes de atuação legislativa, a política de alianças e a tática eleitoral. Também foram aprovadas as chapas majoritária e proporcional.

No dia seguinte ao Encontro, 24 de julho, ocorreu a Convenção Partidária Oficial que homologou a candidatura de Haddad e dos candidatos a vereadores da coligação Mais São Paulo, na Quadra do Sindicato dos Bancários, no centro. A atividade lotou o espaço e contou com a participação do Lula, Ciro Gomes, Chalita entre outras personalidades do PT e da coligação que envolveu PCdoB, PDT, PR e PROS.

Após o período eleitoral, o PT realizou seis de reuniões de avaliação da campanha com a bancada de vereadores do partido, integrantes do governo, Diretórios Zonais movimentos sociais, horizontais e sindical. O ciclo de reuniões de avaliação foi encerrado no dia 21 de fevereiro em plenária da militância com Haddad. O resultado dessas reuniões foi compilado em um arquivo de avaliação das eleições 2016.

Leia mais:

Veja as matérias sobre as atividades de 2016:

19 ° Encontro do PT - http://dmptsp.org.br/local/6982-19-encontro-do-pt-da-capital-delibera-atuacao-eleitoral-e-programa-de-governo-da-proxima-gestao-haddad

Conferência Eleitoral- http://dmptsp.org.br/local/6885-pt-debate-desafios-a-serem-enfrentados-nas-campanhas-municipais

Reunião ampliada do DM - http://dmptsp.org.br/local/6766-unidade-e-mobilizacao-permanente-foram-destaques-da-reuniao-ampliada-do-dm

Plenária contra o golpe - http://dmptsp.org.br/todas/6661-lider-do-mst-destaca-a-importancia-do-planejamento-na-luta-contra-o-golpe

Convenção Eleitoral -http://dmptsp.org.br/local/6966-haddad-vamos-vencer-esta-eleicao-de-cabeca-erguida

http://dmptsp.org.br/local/6967-haddad-significa-revolucao-jamais-vista-em-sp-garante-lula

Abertura de discussão do programa de governo do Haddad http://dmptsp.org.br/local/6815-haddad-sobre-participacao-popular-politica-e-projeto-coletivo

 

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais