"Não existe nenhum país com a perspectiva de futuro que o Brasil tem", diz Lula a empresários franceses

Compartilhar



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou na noite desta quinta-feira (21) de um jantar realizado pelo Consulado da França em São Paulo para empresários franceses que atuam no Brasil e parlamentares da França interessados na política aeroespacial do país. O ex-presidente falou do avanço das relações entre França e Brasil nos últimos anos, da necessidade de superação da crise internacional por meio do crescimento e das boas perspectivas que o Brasil tem pela frente.

“Não existe nenhum país no mundo com a perspectiva de futuro que o Brasil tem”, afirmou Lula lembrando a consolidação da democracia, a ascensão social e a criação de empregos no país. Ele falou que o Brasil ainda tem problemas, mas que muitos deles são decorrentes do crescimento e não da estagnação. “Hoje esse país tem o que ofertar a quem aqui quiser investir”, declarou.

Ele lembrou também o Fórum para o Progresso Social realizado pelo Instituto Lula e pela Fundação Jean-Jaurès, em dezembro de 2012, em Paris, e convidou todos para a segunda edição do seminário, que acontecerá nos dias 11 e 12 de julho, em São Paulo. O principal tema debatido no encontro do ano passado foi a necessidade de colocar o crescimento como saída para a crise.

Sobre as relações entre Brasil e França, Lula ressaltou que a força dos laços que unem os dois países e os avanços das relações nos últimos anos. A balança comercial entre os países, que era de 3,4 bilhões de dólares em 2003 chegou a 10 bilhões em 2012, citou Lula. Ele afirmou ainda considerar “um salto de qualidade” na relação entre os dois países a declaração assinada em dezembro do ano passado pela presidenta Dilma e pelo presidente François Hollande intitulada “Por uma nova etapa da parceria estratégica Brasil-França”.

Um dos anfitriões, o embaixador da França no Brasil, Bruno Delaye, disse estar honrado em receber o ex-presidente e afirmou que “Lula é a pessoa fora da Europa mais adorada pelos franceses”. Ele lembrou que Lula e Mandela são os grande nomes internacionais reconhecidos pelas diversas tendências políticas da França. “Admiramos ele porque ele mudou as coisas, mudou a vida de milhares de pessoas”, explicou. O outro anfitrião foi o cônsul da França em São Paulo, Damien Loras. Também falou no evento o empresário brasileiro André Esteves.

 

Por Instituto Lula

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais