JPT Sampa define agenda de trabalho de 2013

Compartilhar



Em reunião realizada no último dia 19/2, na sede do Diretório Municipal do PT, os integrantes da Secretaria de Juventude do PT de São Paulo definiram o calendário de trabalho para este ano. Participaram também da reunião novos militantes.

“Decidimos ampliar o debate porque no período eleitoral nos aproximamos de uma juventude nova, que ainda não militava conosco e precisávamos trazê-los para essa discussão.” Diz Erik Bouzan, secretário da JPT Sampa.


A reunião serviu para definir as ações prioritárias da Secretaria, a linha política de atuação e  a agenda do ano.  “A prioridade da Secretaria para esse ano está baseada no tripé: formação, regionalização da JPT e o debate sobre transição geracional. Temos a novidade do PED esse ano que será a cota dos 20% para a Juventude. Queremos discutir isso com o partido e garantir a ocupação qualificada da juventude nesses espaços”, afirma Erik.

Para Pedro Mantoan, coordenador de Formação Política, “A Formação da Juventude será um grande desafio. Temos como princípio que a formação se faz na luta, junto aos movimentos sociais, mas só isso não basta, é necessário formar dirigentes capazes de travar a disputa de hegemonia na sociedade”.


A regionalização e o diálogo com os diretórios zonais também fazem parte das metas para esse ano. “Numa cidade do tamanho de São Paulo é necessário articular a juventude também de maneira regionalizada, seja organizando coletivos ou secretarias zonais ou ainda via núcleos de juventude, em escolas, faculdades, etc. Os Dirigentes Zonais serão fundamentais para darmos uma nova cara a esses espaços”, afirma Marcos Silvério, Coordenador de Zonais da JPT Sampa.


Larissa D'Alkimin, coordenadora de PPJ, destaca ainda o papel da Secretaria de ajudar a subsidiar o Governo Haddad nas políticas de juventude. “Temos acúmulo e devemos ajudar o governo na formulação e implementação das PPJ's, construímos o programa de governo, e certamente a JPT Sampa contribuirá e muito discutindo as principais demandas da juventude paulistana”.


Entre as outras prioridades para esse ano incluem-se os Congressos Estudantis, o qual irá ser criado uma Comissão Unificada de Acompanhamento dos Congressos; A Jornada de Lutas da Juventude Brasileira; A Frente Pró-Cotas Racial e a eleição do Conselho Municipal de Juventude.


Por fim Erik Bouzan denuncia e manda o recado: “Há na Câmara Municipal um grupo de vereadores, conhecido como a bancada da bala, dispostos a reprimir a juventude. Ficaremos atentos a qualquer tentativa de criminalização dos jovens e de suas manifestações e não iremos permitir nenhum retrocesso ao projeto petista para a juventude paulistana.”­

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais