LOCAL: Com mortes e arrastões, violência não cede em SP

Compartilhar

 

Na noite de domingo, bando fez arrastão em churrascaria do Itaim Bibi, na zona sul, e fugiu num Porsche; este foi o quinto arrastão contra bares e restaurantes desde o início do ano na capital; onda ganhou força em 2012, quando foram registrados 39 arrastões; número de vítimas de homicídios dolosos (com intenção de matar) subiu 18% em janeiro na cidade

 
Por Brasil 247 Terça-feira, 12 de março de 2013

Depois de um 2012 sangrento, a capital paulista continua registrando um número espantoso de crimes como homicídios dolosos (quando há intenção de matar) e arrastões contra restaurantes e bares, dois tipos de casos que causaram muita dor de cabeça no ano passado. Na noite do domingo 10, aconteceu o quinto arrastão registrado apenas nesse início de ano. Um grupo de seis homens, dois deles armados, invadiu uma das churrascarias da rede Montana Grill, no bairro do Itam Bibi, na zona sul, e nenhum suspeito foi preso.
Havia cerca de 30 clientes no local quando ocorreu o assalto, que durou cerca de cinco minutos, de acordo com testemunhas. O que chamou a atenção, porém, foi que os assaltantes fugiram num Porsche Cayenne que esperava estacionado em frente ao restaurante, segundo o relato de uma testemunha sentada próxima à janela. O carro novo é avaliado em R$ 299 mil, de acordo com a tabela. A polícia desconfia que a quadrilha seja a mesma de outros assaltos realizados na região.
Outro caso recente aconteceu em frente ao Montana Grill, na hamburgueria Pibus. O número de assaltantes era o mesmo, seis, que também fugiram num carro de luxo: um Ford Fusion. Ainda em 2013, aconteceram arrastões numa franquia da rede de cafeterias Fran´s Café, no bairro do Sumarezinho, zona oeste da capital, no bar Loporace, no Campo Belo, zona sul, e no restaurante japonês Zenzei Sushi, na Mooca, zona leste. O cenário segue o de 2012, quando foram registrados 39 arrastões contra bares e restaurantes, sendo 36 na capital e apenas três na região metropolitana.
Homicídios também cresceram
O número de vítimas de homicídios dolosos (quando há intenção de matar) cresceu 18,4% em janeiro deste ano na cidade de São Paulo, em comparação com o mesmo mês do ano passado. De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado, divulgados no final de fevereiro, foram 109 vítimas contra 92 em janeiro de 2012. Se contados por casos de homicídios (cada homicídio pode haver mais de uma vítima), o crescimento foi de 16,6%. No ano passado, a capital paulista registrou aumento de 40% no total de vítimas de homicídios em relação a 2011. Foram 1.497 vítimas ao longo do ano, enquanto em 2011 haviam sido registradas 1.069.

 
 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais