Haddad e Alckmin debatem parceria inédita para construção de casas

Compartilhar



Parceria Público-Privada (PPP) entre Prefeitura, Estado e iniciativa privada promete revitalizar o Centro expandido de São Paulo. Projeto, estimado em R$ 4,6 bilhões, prevê a construção de mais de 20 mil unidades habitacionais

O prefeito Fernando Haddad e o governador Geraldo Alckmin debateram nesta sexta-feira (5) a Parceria Público-Privada (PPP) entre Prefeitura de São Paulo, Governo do Estado e iniciativa privada, que garantirá a construção de 20,2 mil unidades habitacionais no Centro da capital. O encontro entre os gestores ocorreu durante o fórum Arq.Futuro, realizado no Instituto de Ensino e Pesquisa (Insper), na Vila Olímpia.

Segundo Fernando Haddad, a parceria entre Prefeitura e Estado para a construção das casas “rompe paradigmas” históricos - é a primeira PPP do Brasil para habitação de interesse social. “Estamos colocando as políticas públicas acima de interesses menores, sem partidarismo”, citou o prefeito.

O governador Geraldo Alckmin também comemorou a parceria. “Este projeto de habitação vai fazer toda diferença. Faremos uma mudança histórica (de gestão). Quero saudar essa parceria com a prefeitura”. O governador, santista assumido, chegou a brincar com um famoso ataque do Santos ao falar sobre a parceria. “Sou fã de PPP. Pagão, Pelé e Pepe fizeram o melhor ataque de todos os tempos”.

Projeto
A construção das 20,2 mil casas no Centro expandido de São Paulo faz parte do programa Casa Paulista e tem custo estimado em R$ 4,6 bilhões. A ação faz parte de um projeto de requalificação urbana e econômica da área central da cidade.

Durante o evento, o prefeito Fernando Haddad reiterou a importância da revitalização do Centro de São Paulo e, com isso, melhorar a qualidade de vida da população. “Precisamos levar moradia para perto do posto de trabalho. A subprefeitura da Sé conta com quase 20% dos empregos da cidade. Contudo, apenas 3% moram no Centro”, citou. A intenção do projeto, segundo Haddad, é trazer “vida permanente” à área central da capital. “Queremos que as pessoas possam ter lazer, conforto, segurança, qualidade de vida”, disse o prefeito.

Os empreendimentos previstos pela PPP devem ser construídos nos distritos da Sé e República e em bairros do entorno, como Brás, Bela Vista, Belém, Bom Retiro, Cambuci, Liberdade, Mooca, Pari e Santa Cecília. Dos R$ 4,6 bilhões investidos no projeto, a iniciativa privada deve arcar com R$ 2,6 bilhões (56%). A Prefeitura investirá R$ 404 milhões (8%), enquanto o Governo do Estado ficará com R$ 1,6 bilhão (36%).

A maioria dos imóveis (12,5 mil) será destinada à população com renda de até seis salários mínimos – cerca de R$ 4 mil. As outras 7,7 mil unidades serão para trabalhadores com renda entre R$ 4 e R$ 10,8 mil. De acordo com a PPP, os prédios deverão ocupar áreas onde hoje estão imóveis velhos ou abandonados e ficarão próximos de estações de metrô, trem e de grandes avenidas centrais. O edital de licitação deve ocorrer no mês de junho, após consulta pública entre abril e maio.

 

Foto: César Ogata/Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais