Virada Cultural reúne 4 milhões de pessoas em 900 eventos

Compartilhar



Em entrevista coletiva no fim da Virada Cultural 2013, o prefeito Fernando Haddad garantiu a ampliação do evento, afirmou que ocorrências de crimes não devem intimidar a população e que é preciso ocupar a cidade com a cultura

A Virada Cultural 2013, evento em sua nona edição, reuniu mais de 4 milhões de pessoas pelas ruas de São Paulo em 900 atrações espalhadas por toda a cidade, entre às 18h do sábado até às 18h deste domingo (20).

Em entrevista coletiva no final do evento, na Praça das Artes, o prefeito Fernando Haddad avaliou positivamente, a programação e a execução de todas as atrações, destacando a pluralidade e a diversidade dos shows e manifestações artísticas, durante as 24 horas de Virada. Haddad afirmou também que os incidentes, como ocorrências policiais, não devem intimidar a população a ocupar o Centro.

“Foram 900 atrações, quase impecáveis, com dois locais somente com atraso. Dentro da normalidade, com comprometimento dos artistas e da parte técnica. Foi tudo elogiado. A programação foi bem recebida, ouvimos elogios pela pluralidade e diversidade, com todos os gêneros e artes representadas”, disse o prefeito, ao lado dos secretários municipais da Cultura, Juca Ferreira e Segurança Urbana, Roberto Porto e comandante da região Central da Polícia Militar, Coronel Reynaldo Simões Rossi.

“Penso que a Virada cumpriu com a missão principal, que é a de justamente promover a diversidade e o respeito entre as várias representações artísticas. Sem sombra de dúvida, a cultura ganhou e ganhou muito. Uma das melhores Viradas da história de São Paulo”, concluiu Haddad, que na tarde deste domingo, assistiu ao show do Racionais MCs na Praça Júlio Prestes, depois de o grupo ficar cinco anos fora da programação da Virada.

Segurança

Na entrevista coletiva, o prefeito Fernando Haddad também falou sobre a questão da segurança do evento. Haddad afirmou que somente atividades como a Virada Cultural trarão segurança para São Paulo.

“Isso não pode nos intimidar de maneira nenhuma. A cidade é nossa. Nós vamos ocupar a cidade. Isso não pode servir de nenhum tipo de intimidação. Ao contrário. Façam o planejamento e vamos expandir a cultura em São Paulo. É com mais cultura que isso deixará de acontecer”, afirmou Haddad.

O prefeito afirmou que o número de homens da PM e Guarda Civil Metropolitana (GCM) foram maiores que em todas as edições. O efetivo de segurança da Virada Cultural 2013 contou com 3,4 mil PMs e 1,4 mil GCMs.

“A violência em São Paulo de sexta para sábado, ou seja, antes da Virada, não foi menor que a violência em São Paulo de sábado para domingo. O número de homicídios na madrugada de sexta foi exatamente o mesmo da madrugada da Virada, só que com 4 milhões de pessoas a mais e concentradas”, comentou Haddad.

O comandante da região Central da Polícia Militar, Coronel Reynaldo Simões Rossi afirmou que a PM cumpriu seu papel e agiu sempre que foi acionada nesta Virada. Segundo o Coronel, houve uma grande sinergia entre a Prefeitura e a PM e apesar das ocorrências noticiadas, as investigações continuarão e 28 pessoas já foram presas no evento deste ano.

“São 4 milhões de pessoas transitando em espaço curto e com possibilidades de acontecer ocorrências de todas as naturezas”, disse Rossi.

“Tudo foi feito e planejado de acordo com a dimensão, mas o sucesso de uma operação depende do planejamento, execução e do comportamento das pessoas”, afirmou.

Números da Virada 2013

Até às 15h
- Varrição - 215 toneladas de lixo
- Coleta - 59 toneladas
- 17 caçambas apreendidas e nove multas emitidas por irregularidade dessas caçambas.
- 795 sacos de produtos de comércio ilegal apreendidos

Até 17h
- 90 mil pratos vendidos na Virada dos Chefs
- 74 ruas interditadas pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET)
- 119 catadores fizeram coleta seletiva entre sábado e hoje

Até 14h30
- SAMU fez 40 atendimentos. Todos foram removidos a hospitais (Santa Casa, HSPM, Santana) e PS Barra Funda.

Até 17h:
- Secretaria Municipal da Saúde atendeu 1.883 atendimentos e 262 remoções para hospitais em seus quatro postos de atendimento

 

Foto: Fábio Arantes / SECOM

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais