LOCAL: Debate sobre a Atual Conjuntura e os novos mecanismos de mobilização

Compartilhar



Encontro realizado hoje (01/07) no Diretório Municipal do PT reuniu membros da executiva e militantes.

Por DMPT

Debate foi organizado pelas secretarias de Movimentos Sociais e Juventude do PT Municipal e contou com a presença do jornalista Renato Rovai.

“O objetivo desse encontro é promover uma conversa temática e discussão sobre como enfrentar esse momento a partir das manifestações de rua”, disse a secretária de Movimentos Sociais.

Erik Bouzan, secretário de Juventude, fez uma análise sobre a participação da juventude do PT nas manifestações organizadas pelo movimento MPL (Movimento Passe Livre). “A manifestação do MPL é legitima. Eles lutam por uma única causa que é a melhoria do transporte público e tarifa zero. Agora, precisamos refletir sobre tudo o que aconteceu, principalmente sobre e os excessos tanto por parte de alguns manifestantes como da polícia e pensar como a juventude do PT pode contribuir para que a democracia se estabeleça”, disse Erik.

Léa, da secretaria nacional de juventude da CUT destaca que a juventude que está nas ruas é uma juventude que foi despertada pelos limites e avanços dos 10 anos de governo PT. O país avançou muito nesse período, mas é preciso avançar mais e cabe a nós, jovens, apontar os novos desafios em políticas públicas para os nossos governantes. Queremos ter voz junto às autoridades.  “Para nós a Reforma Política e a Democratização dos meios de Comunicação são os desafios mais urgentes”, completou Lea.

Renato Rovai fez uma avaliação do atual momento que estamos vivendo com o povo na rua e o que podemos mudar para acompanhar essa nova realidade com o advento das redes sociais. “Precisamos entender que as coisas mudaram e bastante. As pessoas hoje não precisam de mediadores para discutir política. Se a gente não entender é porque perdeu completamente a compreensão dos fatos. Precisamos entender como essas “máquinas” podem nos ajudar a construir do ponto de vista do processo político. É necessário que o poder público chegue à frente dos anseios da população. Os partidos precisam reinventar o seu modo de fazer política”, completou o jornalista.

Em seguida foi aberto o debate quando todos os participantes colocaram as suas opiniões.

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais