16 leitos de UTI pediátrica são reativados em hospital no Campo Limpo

Compartilhar



Quase 230 leitos voltaram a funcionar este ano na cidade. Meta da Prefeitura é reativar mil leitos até o fim de 2016

Em visita ao Hospital Fernando Mauro Pires da Rocha, no Campo Limpo, o prefeito Fernando Haddad anunciou na manhã desta quinta-feira (19) a reativação de 16 leitos de UTI pediátrica na unidade, desativadas desde 2010. Foram também inaugurados mais 3 leitos na ortopedia. Com a medida, a Prefeitura contabiliza 229 leitos reabertos (equivalente ao de um hospital de grande porte) em 10 dos hospitais da Autarquia Hospitalar Municipal (AHM) desde o início da gestão.

"Nós nos comprometemos em ativar ou reativar mil leitos hospitalares e já atingimos a marca de 229 leitos, praticamente 23% da nossa meta de quatro anos em seis meses", afirmou Haddad. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o aporte investido foi de R$ 1 milhão para a reabertura das vagas.

O prefeito lembrou ainda que firmou o compromisso da construção de três novos hospitais em regiões remotas da cidade, sem leitos próximos. "Licitaremos até o fim do ano (os hospitais de) Parelheiros e Brasilândia", disse Haddad, destacando que o terreno do hospital de Parelheiros já existe e que agora a Prefeitura trabalha em cima do projeto do equipamento.

O hospital do Campo Limpo possui agora 268 leitos. Com a reabertura das vagas, a UTI voltará a receber, em média, 29 internações por mês e 344 por ano. A unidade atende, diariamente, cerca de 15 partos por dia.

O secretário municipal da Saúde, José de Filippi Júnior, afirmou que até o fim do ano o complexo hospitalar do Campo Limpo deve receber a primeira Unidade de Pronto Atendimento (UPA), já nos moldes preconizados pelo Governo Federal. "Reformulamos o projeto que já existia e, em poucas semanas devemos recomeçar a segunda etapa da obra", afirmou.

Duplicação de ponte
A Prefeitura de São Paulo iniciou as obras de duplicação do pontilhão da estrada da Baronesa, na zona sul de São Paulo. A medida integra um plano de intervenções viárias que irão desafogar o trânsito na região do M’Boi Mirim, que receberá ainda obras de drenagem, viadutos de acesso à avenida Guido Caloi e duplicação da avenida M’Boi Mirim. O prefeito Fernando Haddad vistoriou nesta quinta-feira (18) o andamento da canalização do córrego Ponte Baixa e anunciou novos investimentos para a região.

“Esta é uma reivindicação de quase 30 anos, que é a solução do problema da M’Boi Mirim. A primeira providência antes do viário é o tratamento da drenagem. Neste córrego Ponte Baixa vai ser refeita a canalização e ele vai ter um fluxo de água compatível com a região”, explicou Haddad. “Aí vamos construir viário até quase 3 quilômetros da Guido Caloi. Lá para cima, nós fizemos um contrato da duplicação da ponte, outro estrangulamento que tem aqui. Então são dois pontos que estão sendo resolvidos até o fim do ano que vem”, afirmou o prefeito.

Para aumentar o fluxo do tráfego na região, está em execução a duplicação da ponte sobre o rio Embu-Guaçú da Estrada da Baronesa. Ao fim das obras, a travessia será feita em quatro faixas. A ponte já existente será alargada e recuperada. Ao lado, será construído um novo pontilhão, com extensão de 30 m e largura de 17 m. Também será duplicada parte da Estrada M’Boi Mirim, entre a rua Isadora de Oliveira e a estrada da Baronesa, trecho de cerca de 600 metros. A Estrada da Baronesa receberá ainda requalificação de pavimento e novas calçadas, entre a Estrada M’Boi Mirim e a alameda Carlos Marchais. A conclusão das intervenções, que recebem investimentos de R$ 20 milhões, está prevista para o primeiro trimestre de 2014.

Na região do córrego Ponte Baixa, dois viadutos ligarão a avenida Guido Caloi e a rua Daniel Klein. Para solucionar os problemas de drenagem, serão canalizados os córregos Ponte Baixa, da rua Daniel Klein até sua foz, e o córrego Jardim Letícia, cujas margens se transformarão em um parque linear. A vazão das águas será contida também em um reservatório de amortecimento na altura da avenida Inácio Dias da Silva.

Até o fim de 2013, está prevista a conclusão da primeira fase de obras no córrego Ponte Baixa e a fundação e os pilares dos novos viadutos. As intervenções receberão investimentos de R$ 400 milhões, sendo R$ 284 milhões do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC2) do Governo Federal e R$ 116 milhões da Prefeitura. Estima-se que estas obras beneficiarão mais de 500 mil pessoas.

No próximo mês, iniciará ainda a licitação para a reestruturação da Estrada M’ Boi Mirim, que prevê duplicação, instalação de corredor de ônibus e de terminal urbano. Estas obras do Programa de Obras do Plano Viário Zona Sul deverão receber R$ 2 bilhões em investimentos. “No Viário Sul a licitação está pronta para ser feita. Até o final do mês sai o edital de pré-qualificação. Refizemos o projeto, colocando corredor de ônibus. Nós não vamos fazer nada que não seja para transporte coletivo”, afirmou Haddad.

Foto - Hospital Fernando Mauro Pires da Rocha
Luiz Guadagnoli/SECOM

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais