Jabaquara terá hospital municipal com mais de 250 leitos

Compartilhar

Antigo hospital particular adquirido pela Prefeitura estava desativado há dois anos. Unidade terá maternidade, pronto-socorro e pediatria

As regiões sul e sudeste terão um novo hospital municipal em 2014, com mais de 250 leitos. O prefeito Fernando Haddad recebeu nesta segunda-feira (16) as chaves do Hospital Santa Marina, no Jabaquara, adquirido pela Prefeitura para ampliar o atendimento público de saúde na região. Desativado há dois anos, o edifício irá abrigar um hospital geral com maternidade e terá pronto socorro, atenderá pediatria e clínica médica, com a realização de cirurgias.

O novo hospital público é uma demanda dos movimentos sociais de saúde da zona Sul da cidade e foi fruto de um acordo entre a administração municipal e a empresa Amil. “Este hospital era privado, estava fechado. Nós compramos o hospital, vamos reformá-lo e até o primeiro semestre do ano que vem ele já começa a funcionar pelo SUS”, afirmou o prefeito Haddad.

Os investimentos na compra do hospital foram de R$ 59,4 milhões. “Quando este prédio foi a leilão para pagar os direitos trabalhistas dos ex-funcionários do Santa Marina, a Amil adquiriu o hospital. Um dia antes a Prefeitura tinha decretado a utilidade pública deste equipamento. Fizemos então um acordo em juízo para passar o hospital para a Prefeitura, com a indenização do que foi pago pelo hospital”, disse Haddad.

Em breve, será aberto um chamamento público para o desenvolvimento do modelo de administração do hospital. Estima-se que a reforma dure entre 120 e 150 dias. O Hospital Santa Marina soma-se aos hospitais de Parelheiros, Vila Matilde e Brasilândia no plano de expansão do número de leitos públicos na cidade. “A zona sul é a região da cidade de São Paulo que tem a menor oferta de leitos públicos para a saúde. A cidade oferece cerca de dois leitos públicos por mil habitantes. Na zona sul tem 0,7. E nesta região próxima do Jabaquara, de Cidade Ademar tem 0,4”, explicou o secretário municipal de Saúde, José de Fillipi.

Durante o evento, o movimento popular do Jabaquara entregou ao prefeito um documento de apoio ao novo hospital com a assinatura de 47 organizações da região. “Em nome do movimento popular de saúde eu gostaria de dizer que esta é uma conquista nossa. Pedimos este hospital, fizemos várias ações e queremos juntos discutir como será daqui para frente”, contou João Batista Mariano, membro do conselho gestor da saúde do Jabaquara.

O Hospital Santa Marina foi inaugurado em 1971 e pertencia à rede particular. Em agosto de 2011 a direção do hospital apresentou um pedido de falência por inadimplência. Ele possui 265 leitos hospitalares além de unidades de terapia intensiva, maternidade, equipamentos para cirurgias e exames, como ressonância magnética e tomografia. Ocupa um terreno de 15 mil metros quadrados, com uma área construída de 25 mil metros.

FOTO
Cesar Ogata / SECOM.

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais