Em ato com Lula, PT aprova as candidaturas de Suplicy e Padilha

Compartilhar

http://www.pt-sp.org.br/imag/noticia/1562014205937.jpg

"O Estado de São Paulo sempre foi a locomotiva do Brasil, mas vem perdendo força. Por isso estamos aqui: chegou a hora de mudar."

 
Por Luiz Henrique Dias, especial pada o Linha Direta


O PT esteve reunido na manhã deste domingo (15), na Portuguesa, em São Paulo para um grande ato de confirmação das candidaturas paulsitas às eleições 2014.

Marcando o encerramento do Encontro Estadual, o ato reuniu militantes de todo o estado e contou com a participação de diversos prefeitos, ministros, secretários, deputados, vereadores, líderes partidários e militantes.

O primeiro a saudar os milhares de presentes, o Presidente Estadual do PT de São Paulo, Emídio de Souza. "Bem-vindos ao encontro que vai homologar as candidaturas de Eduardo Suplicy ao Senado e de Alexandre Padilha ao Governo do Estado." - disse o Presidente Estadual, que pontuou, ainda, o tamanho do desafio e convidou a todos para a embate eleitoral. "Nossa campanha não terá um gesto de agressão. Vamos dizer, sim, que não aceitamos um governo lento, como esse de São Paulo." - afirmou.

O Presidente Nacional do PT, Deputado Estadual Rui Falcão, falou sobre o carisma de Padilha e de sua capacidade de aglutinar a militância. "O que traz tanta gente aqui é nosso candidato que entusiasma a militância e nosso programa de governo. Teremos tempo de TV, teremos muitos materiais, mas nada substitiu nossa militância." - afirmou. Falcão destacou as grandes bandeiras do PT, em especial sobre a democratização dos meios de comunicação e chamou a militância para participar do plebiscito popular sobre a reforma política.

As Ministras da Cultura e do Planejamento, Marta Suplicy e Miriam Belchior, também estiveram presentes. Marta pediu união em torno da capacidade de Padilha e da força do PT para eleger o primeiro governador petista em São Paulo. Belchior falou da importância da continuidade do projeto nacional e da vitória no em São Paulo. Para a Ministra Mirian, o povo brasileiro garantiu muitas conquistas com Lula e Dilma e precisa continuar nesse rumo.

O Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, relembrou o período em que trabalhou ao lado de Padilha, quando eram ministros e disse ter confiança na militância do PT e na certeza do segundo turno e na vitória. "Você, Padilha, vai trazer inovação para a política do Estado de São Paulo. Porque não pensar no Bilhete Público Metropolitano? Porque não pensar no Programa de Cotas nas universidades estaduais? Porque não pensar no Enem como forma de ingresso na USP?" - destacou Haddad.

O Senador Eduardo Suplicy, oficializado candidato à reeleição, foi enfático na defesa da Presidenta Dilma e do Governo petista. Suplicy relembrou sua trajetória política e sua história ao lado de Lula, além de defender uma campanha sem ataques, mas de programa e propostas. Por fim, o senador agradeceu o carinho e a confiança da militância. "Quero aproveitar essa confiança depositada em mim para fazer o melhor mandato de minha vida." - destacou.

Em sua mensagem, a Presidenta Dilma falou sobre as ações do Governo Federal no Estado de São Paulo, como investimentos em mobilidade, infraestrutura, educação habitação popular. "Uma candidatura que traz a força da verdade. Porque São Paulo precisa saber a verdade sobre o estado e sobre o país. Padilha, São Paulo não merece o volume morto e você é o volume vivo."- pontuou Dilma.

Padilha, que discursou após os aplausos e gritos de apoio dos militantes e ainda emocionado com a homenagem que recebeu de sua família, agradeceu a todos os militantes. "Vocês não imaginam o tamanho da gratidão que sinto nesse momento." - afirmou. Padilha defendeu uma campanha limpa e sem ataques, não deixando que "o ódio de uma minoria não invada os corações vermelhos da militância.". O candidato do PT destacou a importância dos partidos coligados e dos apoios em torno do projeto. "Agora é hora de mudar de verdade a forma de governar o Estado de São Paulo."

Padilha apresentou propostas do Programa petistas para diversas áreas, como mobilidade, logística, agricultura, indústria, economia, inclusão, cultura, segurança pública, saúde e educação. "Vamos acabar com a aprovação automática e instituir a educacao continuada e a escola de tempo integral. Para onde os tucanos só levaram presídios, vamos levar escolas para nosso povo." - pontuou. O ex-ministro disse também querer levar dignidade ao povo pois, segundo ele, "São Paulo precisa de um governo que acredite que morar bem é direito de todos os paulistas."

Padilha terminou sua fala garantido a chegada do Metrô as cidades de Guarulhos, São Bernardo do Campo e Taboão da Serra e a região da Brasilândia, em São Paulo, e assumindo o compromisso governar próximo ao povo paulista. "Quero ser Governador para construir um estado que cresce, acolhe a ampara todos os paulistas. Viva São Paulo e viva a mudança de verdade." - anunciou, sob aplausos dos militantes.

O ex-Presidente Lula chamou a militância para o que chamou de "um das maiores disputas ideológicas da história". "Se em 2002 fizemos uma campanha para a esperança vencer o medo, este ano, vamos ter que fazer uma campanha para a esperança vencer o ódio" - afimou. Lula relembrou as lutas históricas do PT e declarou apoio e confiança ao de Suplicy ao Senado e de Alexandre Padilha ao Governo do Estado.

O ato contou ainda com a aprovação em plenário das candidaturas à Assembleia Legislativa, ao Congresso Nacional e ao Palácio dos Bandeirantes, por maioria absoluta, e com a presença do rapper Rappin` Hood, que levantou o público com o rap de qualidade da periferia paulistana, e com o ritmo contagiante da bateria da escola de samba Gaviões da Fiel.

Foto: Rodrigo Petterson

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais
Rui Falcão: As alternativas do PT para a Previdência
segunda, 13 março 2017, 19:03
  Em meio às manifestações contra o desmonte da Previdência (e foi notável a reação das mulheres no 8 de março, dia de luta também contra o conservadorismo e a violência), abre-se agora o debate sobre qual a melhor tática... Leia Mais