Em cinco meses, programa de tratamento a usuários de crack realizou 28 mil atendimentos

Compartilhar

 

Criado em janeiro deste ano pela Prefeitura de São Paulo, o programa de resgate social dos usuários de crack “De Braços Abertos” contabiliza mais de 28 mil atendimentos de saúde no período. a iniciativa é resultado de um longo diálogo entre o governo municipal e os moradores da região da Nova Luz, popularmente conhecida como Cracolândia. Além de trabalho remunerado e alimentação, aqueles que aderem ao programa têm direito a vaga em um dos hotéis da região. Segundo dados da prefeitura, houve uma redução no consumo de crack entre os beneficiários, em média, de 50% a 70%.

De 10 a 15 pedras por dia, o consumo foi à média de 5. Para as equipes municipais de saúde, a redução foi consequência do resgate social e da inserção de atividades que organizam uma rotina diária. Os consumos ainda constatados ocorreram no período noturno, período em que os beneficiários estão afastados do trabalho.

Até o momento, 422 pessoas se cadastraram. São 273 homens e 149 mulheres que se reintegraram à sociedade. Do grupo, 12 beneficiários já estão trabalhando fora do programa, 18 atuam nas frentes de trabalho em órgãos municipais, 228 fazem a varrição de ruas e 66 participam do projeto de capacitação em jardinagem Fábrica Verde. Além disso, 16 das 28 crianças integrantes do projeto foram inseridas em creches, e, outros três beneficiários ingressaram em cursos no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec).

“Essa experiência tem gerado bons resultados, como apontam os números divulgados”, avalia a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, Luciana Temer.

Ela credita o sucesso do programa à mudança de paradigma adotado pela prefeitura, no enfrentamento da questão do uso do crack. “Abandonando o princípio da repressão e internação por acolhimento, trabalho, assistência social e de saúde, ajudamos o dependente no processo de reintegração social”, explicou.

O programa cria condições para que o usuário pense em buscar tratamento, vislumbrando outras possibilidades além da droga. “Para quem está de fora pode parecer um equívoco remunerar ou deixar o dinheiro na mão do usuário, mas essa iniciativa, trabalho com remuneração, recupera um pouco a dignidade, a auto estima da pessoa e permite enxergar um fio de luz no fim do túnel”, disse um dos pacientes em tratamento.

Acompanhado pelo prefeito Fernando Haddad, o príncipe Harry visitou a Cracolândia, na quinta-feira (26). Ele conversou com os moradores da região, alguns beneficiários do programa. O projeto é um trabalho amplo municipal que envolve as secretarias de Saúde, de Assistência e Desenvolvimento Social, do Trabalho e Empreendedorismo, de Segurança Urbana, de Desenvolvimento Urbano e Direitos Humanos e Cidadania.

Fonte: Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais