Filas para consultas médicas e exames diminuem na rede municipal de saúde

Compartilhar

Em um ano e meio, o tempo de espera por consultas com especialistas na rede municipal de saúde caiu em todas as regiões da cidade. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a média de espera para consultas foi reduzida em 22%. Para exames, o tempo médio na rede caiu 36%. Em relação a dezembro de 2012, o número de pacientes que aguardam por exames ou consultas caiu 19,38%, de 810 mil para 653 mil pessoas.

Segundo o coordenador da Atenção Especializada, Flavius Olivetti Albieiri, a secretaria monitora diariamente os indicadores de fila, sempre buscando identificar possíveis gargalos no processo para reduzir tempo de espera , além de  garantir o acesso aos serviços de saúde com qualidade. “Dos 260 indicadores monitorados, 190 apresentaram queda no tempo médio de espera”, afirmou.

Os avanços apresentados são os primeiros resultados das ações da rede Hora Certa, que incluem a instalação de hospitais-dias e de unidades móveis, além da adoção de procedimentos para reduzir as faltas e para otimizar a marcação de exames e consultas.

Uma das especialidades que apresentou avanço foi a oftalmologia, modalidade médica que possui o menor tempo de espera. A redução da quantidade de dias e de pacientes aconteceu em todas as regiões da cidade. Na região norte, o tempo na fila para oftalmologia caiu 77%, de 110 para 26 dias. Em uma média entre as cinco regiões da cidade, são 50 dias de espera.

A zona norte apresenta os melhores resultados em relação aos especialistas. O tempo de espera caiu para todas as dez especialidades: acupuntura, dermatologia, gastroenterologia, neurologia, oftalmologia, ortopedia, otorrinolaringologia, pneumologia, proctologia e psiquiatria. A maior diminuição foi em dermatologia, que em dezembro de 2012 tinha fila de 12.703 pacientes, que aguardavam 242 dias por uma consulta, enquanto atualmente 96 pessoas esperam 49 dias, 80% a menos nos dias de espera. A região norte também apresentou redução na espera em consultas a fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, dentistas, psicólogos e terapeutas ocupacionais.

“A redução do tempo de espera para realização de consultas na zona norte se deve a ações implementadas pela gestão tais como agendamento automático, e trabalho do call center, que reduziram a perda primária e o absenteísmo”, disse o coordenador Albieiri.

A melhoria no atendimento ocorreu também nas consultas de avaliação para cirurgias. Nas regiões sudeste e centro oeste, a fila foi zerada para avaliações de cirurgia otorrinolaringológica. Na zona norte, a consulta por cirurgia urológica e vasectomia teve diminuição de 71% no tempo de espera, de 179 para 52 dias. Na região sul, a avaliação para cirurgia ginecológica para laqueadura teve diminuição de 58%, de 131 para 55 dias.

Para os pacientes que precisam de uma consulta com nutricionista, o tempo de espera também caiu em todas as regiões da cidade. A região centro oeste apresentou a maior queda, de 93%, passando a espera de 145 para 10 dias. Nas demais regiões, a redução da quantidade de dias na fila foi de cerca de 50%.  Já o atendimento em terapia ocupacional teve avanços nas regiões norte, sul e leste, onde o tempo de espera caiu 71%, 62% e 71%, respectivamente.

Exames
Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o tempo de espera para realização de exames também apresentou redução. Em toda a cidade, os pacientes precisam aguardar menos dias para realizar exames de colonoscopia e de ecocardiografia transtorácica. As maiores reduções foram identificadas na zona centro-oeste, onde a espera por uma mamografia caiu 86% (141 para 20 dias), e na zona leste, onde a espera por uma densitometria diminuiu 89% (de 226 para 24 dias).

Em toda a cidade, os exames de ultrassonografia tiveram diminuição na espera em 12 das 18 modalidades mais comuns. A ultrassonografia do globo ocular e da órbita (monocular) teve a fila zerada nas regiões centro-oeste, leste, norte e sudeste. No centro-oeste da cidade, não há mais fila para ultrassonografia obstétrica morfológica.

Tiveram redução de mais de 90% no tempo de espera: os ultrassons de aparelho urinário, de tórax  e de tireoide na região centro oeste, de tireoide na região leste, doppler colorido de vasos, na sudeste, e de articulação e de tireoide na sul.

“O tempo médio de espera para realização de ultrassonografia caiu de sete meses e para três meses, e agora, para 40 dias. Essa melhora se deve à implantação de Hora Certa Móvel e melhoria da gestão de fila”, afirmou Albieiri.

Hora Certa
A cidade conta com atualmente seis hospitais-dia da rede Hora Certa instaladas nos bairros de Freguesia/Brasilândia , Itaim Paulista, Lapa, Penha e M'Boi Mirim (duas unidades). Nestes equipamentos, os munícipes encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde (UBS) podem passar por consultas com especialistas, exames e até mesmo por pequenas cirurgias, tudo em uma mesma unidade.

São oferecidos 11 tipos de exames: colonoscopia, eletrocardiograma, ecocardiograma, endoscopia, histeroscopia diagnóstica, holter, monitoramento ambulatorial da pressão arterial (MAPA), nasofibroscopia, radiologia, teste ergométrico e ultrassonografia. Visando ampliar o acesso da população e aperfeiçoar a qualidade dos serviços de saúde, a meta desta gestão é instalar 32 unidades da Rede Hora Certa distribuídas em cada uma das subprefeituras.

Já as unidades móveis circulam por todas as regiões da Capital para realizar ações concentradas. As atividades acontecem em uma carreta com 100 metros quadrados de área, dotada de quatro salas de atendimento climatizadas, com equipamentos de diagnóstico de alta tecnologia, áreas de esterilização, duas salas de espera, banheiros e elevador para pessoas com mobilidade reduzida. Os boxes de exames têm área de 45 metros quadrados e possuem salas de raio-x ou mamografia digital, ecocardiograma e ultrassom. Há ainda capacidade de realizar pequenos procedimentos cirúrgicos.

Atualmente, os equipamentos Hora Certa móvel estão instalados no Pronto-Socorro da Lapa, na zona oeste, no estacionamento do Centro Educacional Unificado (CEU) Jambeiro, na zona leste, no pátio da subprefeitura do Tucuruvi, na zona norte, e no Clube Escola Jorge Bruder, em Santo Amaro, zona sul.

Fonte: Prefeitura de São Paulo - Secom

 

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais