Programa da Prefeitura de SP leva 25 mil alunos da rede municipal a 23ª Bienal do Livro

Compartilhar

A partir desta segunda, cerca de 25 mil alunos da rede municipal de ensino serão convidados a conhecer a 23ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. A Bienal, que acontece de hoje a 31 de agosto, no Pavilhão de Exposições do Anhembi, zona norte, conta com um estande da Secretaria Municipal de Educação. Nesta edição, pela primeira vez, os estudantes receberão um voucher no valor de R$ 10 para a compra de livros.

A Diretoria de Orientação Técnica – Sala e Espaço de Leitura selecionou 135 títulos das editoras expositoras que poderão ser adquiridos pelos alunos usando o vale-livro. A seleção levou em conta a relevância educativa dos títulos, adequação às novas regras ortográficas, a qualidade gráfica e editorial, a faixa etária dos alunos e a concepção pedagógica da rede, considerando o Programa Mais Educação São Paulo. Veja a lista das obras disponíveis para compra com o voucher. Também serão convidados a participar das atividades da Bienal14 mil professores, bibliotecários e demais educadores da rede municipal.

As visitas dos alunos à Bienal ocorrerão nos seguintes horários:
EMEIs (Escolas Municipais de Educação Infantil) - 9h e 14h

EMEFs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental), EMEFMs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Ensino Médio), EMEBSs (Escolas Municipais de Educação Bilíngue para Surdos) e CIEJAs (Centros Integrados de Educação de Jovens e Adultos), respectivamente - 10h, 11h, 14h, 15h e 19h.

A presença da Secretaria na 23ª Bienal do Livro faz parte do programa Quem Lê Sabe Por Quê, de fortalecimento da leitura na Rede Municipal de Ensino da capital. A proposta do programa, implementado em 2013, é criar núcleos em todos os CEUs (Centros Educacionais Unificados) visando à formação de profissionais dos próprios CEUs, das unidades escolares da Rede Municipal de Ensino e ainda de jovens da comunidade para atuarem como mediadores de leitura. É uma contribuição para que São Paulo seja uma Cidade Leitora.

Estande
A programação do estande inclui nove rodas de conversa com autores Erica Balbino, Anna Rennhack, Kiusam de Oliveira, Marco Haurélio e Werá Jeguaka.

Também serão realizados sete saraus, 20 apresentações de projetos de escolas municipais, 14 apresentações culturais, visitas monitoradas, contação de histórias e apresentação de alunos e professores, além da divulgação de projetos e ações dos programas Mais Educação São Paulo e Quem Lê Sabe Por quê.

Entre as quatro atividades de contação de histórias, está a leitura para bebês.A programação completa poderá ser conferida no Portal da SME.

Revista Magistério
A Bienal servirá como palco também para a divulgação da segunda edição da revista Magistério, que tem como tema “A aula expandida”, e para a premiação do Concurso Escola de Leitores, que é promovido pela Secretaria Municipal de Educação em parceria com o programa Prazer em Ler, do Instituto C&A. A ação tem como objetivo premiar projetos de promoção à leitura literária e formação de leitores de literatura e recebeu cerca de cem inscrições. Sete escolas serão premiadas no evento.

Projeto Leituraço
Durante a Bienal, a Secretaria Municipal de Educação apresentará o projeto Leituraço, que consiste em momentos de leitura e estudo da produção literária africana.

Em novembro, mês da Consciência Negra, as escolas se dedicarão a essas leituras, sempre na primeira aula do período, com duração de cerca de 30 minutos. Alunos e professores aproveitarão a Bienal para buscar, entre os expositores, títulos de literatura africana e, com isso, contribuir para a difusão das obras de países africanos de língua portuguesa.

Imprensa Jovem
Tudo será acompanhado pelos alunos do projeto Imprensa Jovem que farão a cobertura do evento. Os estudantes terão à disposição um estúdio de rádio e uma pequena agência de notícias para a produção das reportagens, que serão postadas diariamente no blog oficial do Imprensa Jovem (http://noarimprensajovem.blogspot.com) e também no Facebook (Ondas do Rádio Educomunicação).

Números da Rede
A rede municipal de ensino conta com 722 Salas e Espaços de Leitura que funcionam nas unidades de Educação Infantil, Ensino Fundamental, Médio, Educação Bilíngue para Surdos e de Jovens e Adultos. Nesses espaços trabalham 888 Professores Orientadores de Salas de Leitura (POSL), que desenvolvem atividades de leitura de diferentes gêneros textuais, articuladas com a proposta pedagógica das disciplinas e de cada unidade escolar. Esse educador contribui para a formação de leitores, estimulando a curiosidade, o senso crítico e o prazer de ler.

Em cada um dos 45 CEUs funcionam bibliotecas e nelas atuam 130 bibliotecários, com ações de promoção e incentivo à leitura, como desenvolvimento de projetos, empréstimo de livros etc.

Fonte: Secom - Prefeitura de SP

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais