Avenida Paulista terá ciclovia no canteiro central

Compartilhar

A Avenida Paulista vai receber uma ciclovia em toda a sua extensão. A via exclusiva para a circulação de bicicletas ocupará o espaço onde hoje fica o canteiro central. O projeto foi apresentado nesta terça-feira (2) ao prefeito Fernando Haddad pelo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto. As obras devem começar em 2015.


"Eu não quis começar [agora] a obra sem a certeza de que o Natal não seria afetado. Como não me deram 100% de garantia, pedi que começassem as obras só em janeiro, pois a Paulista tem que ser preservado no fim do ano", disse o prefeito nesta quarta-feira (3), em visita à região de Cidade Ademar, na zona sul.


Na véspera, Haddad havia destacado que ao contrário das ciclofaixas de lazer, montadas aos domingos, a ciclovia será permanente e trará mais conforto e segurança aos ciclistas.


Segundo Tatto, o canteiro central da avenida será alargado em cerca de 25 centímetros de cada lado para facilitar a passagem de bicicletas nos dois sentidos. As oito faixas de rolamento da via serão mantidas, com alguns ajustes. Alguns trechos, próximos aos semáforos, ganharão grades para a proteção dos ciclistas.


A ciclovia será elevada em relação às faixas de rolamento. Os tanques que hoje abrigam plantas e flores serão retirados, assim como os relógios de rua distribuídos pela via. "É um canteiro impermeável, que não tem relação direta com o solo", afirmou Tatto na terça-feira. Ainda segundo o secretário, está prevista alteração de lugar de alguns postes de iluminação. 


As obras devem começar no ano que vem, após a obtenção das licenças necessárias. A previsão para a sua conclusão é de três meses, a contar do seu início. A CET, entretanto, terá de montar um planejamento para o desvio de tráfego e segurança dos pedestres que passam pela região diariamente.


Nesta quarta-feira (3), Haddad afirmou que a medida modernizará a região. "É um projeto que vai dar uma cara nova para a Paulista. Vai representar um ganho do ponto de vista visual. A paisagem da cidade muda para melhor", disse.


Ainda assim, o prefeito sabe que será impossível agradar a todos e, justamente por isso, afirmou que a Prefeitura estará aberta ao diálogo. "Se o debate se estabelecer, ainda mais agora que teremos mais tempo antes de iniciadas as obras, melhor", afirmou.

Fonte: Prefeitura de SP - Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais