Haddad entrega 1° etapa do sistema viário do córrego Ponte Baixa no M' Boi Mirim

Compartilhar

A Prefeitura de São Paulo entregou nesta segunda-feira (29) o segundo viaduto do sistema viário do córrego Ponte Baixa, em M'Boi Mirim, na zona sul. O prefeito Fernando Haddad e o secretário Roberto Garibe (Infraestrutura Urbana e Obras) visitaram o local, que ganhou ainda uma via, que segue da Avenida Guido Caloi até a confluência da Estrada do M’Boi Mirim com a Rua Daniel Klein. A nova avenida recebeu o nome de Luiz Gushiken. Além de intervenções viárias, o projeto também prevê obras de canalização do córrego.

"Só essa obra aqui são [quase] R$ 500 milhões. Nós vamos chegar até a [Rua José Barros] Magaldi, que é uma rua importante, até o final deste ano, o que já vai aliviar muito [o trânsito da região] do Jardim Ângela", afirmou o prefeito, ressaltando que à medida se soma à requalificação do corredor da Estrada do M'Boi Mirim. "Fizemos uma paralela à M'Boi, que vai ter mais efetividade no desafogamento do trânsito do que de outra forma, até pela agilidade da obra. É o maior investimento que já foi feito na história dessa região", disse.

O novo viaduto, de 336 metros de extensão, tem duas faixas de rolamento. Ele funcionará no sentido centro, e vai da Avenida Luiz Gushiken até a Avenida Guarapiranga. Um novo trecho de 480 metros do córrego canalizado também foi entregue nesta segunda-feira. Ele vai da Rua Frederico Grotte até a Rua Guilherme Valente, pela Avenida Luiz Gushiken. Este trecho, assim como a via perimetral ao lado do complexo de viadutos, possui ciclovia e, depois de completo todo o novo viário, possuirá um corredor ônibus, cuja infraestrutura já está montada.

"O Ponte Baixa tem uma simbologia: ele é um portal dos investimentos que nós estamos fazendo em toda a região sul da cidade. É bom que se diga que essa é a maior obra do PAC, tirando todos os metrôs que nós estamos apoiando em São Paulo. Isso se reveste de simbologia porque nós conseguimos trazer o PAC para a cidade de São Paulo. Conseguimos, só para a região sul, R$ 2,3 bilhões em drenagem", afirmou o secretário Roberto Garibe, mencionando também as obras das bacias do Cordeiro e Zavuvuz.

O conjunto de obras ligado ao córrego Ponte Baixa terá o custo total de R$ 490 milhões, dos quais R$ 164 milhões serão da Prefeitura e R$ 326 milhões do governo federal, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2). Entre as intervenções previstas, estão a construção de três viadutos de interligação - dois dos quais já entregues -, e a canalização de três quilômetros do córrego, do canal do Guarapiranga até a Estrada do M'Boi Mirim. A largura do córrego está sendo ampliada de quatro metros para 16,5 metros para suportar a vazão de água na época de chuvas.

Moradora da região há cerca de 10 anos, Iraci Bitencourt, 43, comemorou o empreendimento. "Os períodos de chuvas aqui na região sempre foram muito dramáticos. Já tive amigos e conhecidos que tiveram suas casas invadidas pela água. São móveis, geladeiras, cachorros e até mesmo pessoas levadas pela água. Com o alargamento do córrego, isso felizmente deve melhorar", disse.

Há mais de 40 anos que a população aguarda a realização dessa obra que deverá beneficiar cerca de 550 mil pessoas. A área da bacia hidrográfica do córrego Ponte Baixa é de aproximadamente 6,7 km². O córrego, que desemboca no canal Guarapiranga, sofre com a poluição e assoreamentos, e em época de chuvas transborda em vários pontos.

Também acompanharam a visita do prefeito os secretários municipais Ricardo Teixeira (Coordenação das Subprefeituras), Jilmar Tatto (Transportes) e Simão Pedro (Serviços).

Homenagem
A avenida que segue paralela ao córrego canalizado recebeu o nome de Luiz Gushiken, ex-ministro da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (2003-2005), morto em 2013. Durante a entrega da via, a viúva Elisabeth Gushiken e seus filhos Helena e Guilherme Gushiken receberam uma réplica da placa de identificação da via. "É importante nós termos obras dessa magnitude [na cidade]. Mais importante do que a canalização do córrego e [a construção] da avenida, da ciclofaixa e da faixa de ônibus, é a dignidade que essa população passa a ter com esse tido de obra. Isso é o que vale", afirmou Guilherme Gushiken.

Fonte: Prefeitura de São Paulo - Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais