Gestão Haddad conclui 90% do Plano de Recuperação Semafórica visando às chuvas

Compartilhar

A Prefeitura de São Paulo já concluiu 90% do Plano de Recuperação Semafórica da cidade. Dos 4.800 semáforos previstos para serem reformados até agosto de 2015, 4.350 foram revitalizados pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) até agora. Ao todo, a cidade tem cerca de 5.700 semáforos. A medida integra uma série de ações que foram realizadas ao longo do ano com objetivo de minimizar os impactos do período de chuvas que começou nesta semana.


As ações incluem ainda a limpeza de galerias e bocas de lobo, intervenções em pontos recorrentes de alagamentos e obras de drenagem em bacias e córregos, que representam o maior programa de obras de combate às enchentes dos últimos anos na cidade.


“A cidade está preparada para as chuvas de verão, sempre com grande esforço de limpeza de bueiro, mas a reforma semafórica também é uma coisa que ajuda muito a organizar a cidade durante as chuvas”, afirmou o prefeito Fernando Haddad nesta terça-feira (4), durante a inauguração de ciclovia na ponte da Casa Verde.


“Quanto à drenagem, entregamos muitas obras do PRA, do Programa de Redução de Alagamentos, e temos algumas obras grandes sendo feitas de macrodrenagem, por exemplo, nos córregos Água Preta, Ponte Baixa e Cordeiro”, afirmou Haddad.


As obras de drenagem nos córregos Ponte Baixa, Cordeiro 1 e Sumaré/Água Preta embora não concluídas já solucionam parcialmente as enchentes nestes pontos. No caso do Ponte Baixa, na região da Avenida Guido Caloi, o problema de enchente já será amenizado neste verão.


“No Ponte Baixa, acho que está solucionado. Não devemos ter problemas ali, pelo menos é o que atestam os técnicos. Cordeiro, nós já temos dois reservatórios que ainda não estão entregues, mas estão operacionais para esse verão. Vão poder reservar água e bombear depois da chuva passar. Na Água Preta, nós devemos ter ainda um verão delicado, mas em 2015 e 2016, tudo estará 100% superado ali no Sumaré”, disse Haddad.


No Programa de Redução de Alagamento (PRA), a Prefeitura já concluiu 26 intervenções em pontos de recorrência de alagamento e 25 estão em andamento. Os locais recebem restauração de margens, sistemas de galerias de águas pluviais e pavimentação.


De sábado (1º) até esta terça-feira (4), a cidade registrou apenas quatro pontos de alagamentos transitáveis, segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE). Foram dois pontos de alagamentos registrados no sábado e dois nesta terça-feira.


Limpeza

De janeiro a setembro de 2014, equipes realizaram a limpeza de mais de 886 mil bocas de lobo. Nas áreas de contenção e corrente de água, quase dois milhões de metros de córregos passaram por limpeza e 140 mil m³ de lixo foram retirados de piscinões.


O serviço de manutenção do sistema de microdrenagem (bocas de lobo, ramais e galerias), realizado manual e mecanicamente, tem o objetivo de garantir o escoamento da água e impedir que materiais sólidos, retidos durante as chuvas, obstruam a drenagem das águas. Por isso, as 32 Subprefeituras executam, ainda, serviços de varrição constante nas principais avenidas e ruas da cidade, evitado assim que o lixo jogado nas vias pela população chegue ao sistema.


“Em relação às enchentes, a limpeza pública foi toda reformulada desde janeiro de 2013. As equipes são conjuntas. A que cuida do ramal e a que cuida da boca de lobo são agora equipes conjuntas que cuidam da limpeza pública. Tem um decreto que disciplina a matéria”, afirmou o prefeito.


Recuperação dos semáforos

Além da recuperação de 4.350 semáforos, a Prefeitura também já instalou mil no-breaks dos 1.800 previstos. Também foram instalados 614 controladores de última geração dos mil previstos. O no-break evita que o semáforo fique desligado por queda ou oscilação de energia por até duas horas. Os controladores que ajudam na programação dos semáforos estão sendo padronizados que permite, por exemplo, um acompanhamento on-line do funcionamento. Anteriormente os modelos eram variados, o que não permitia, por exemplo, a programação remota pela central.


“Foi um esforço grande para o motorista de veículo motorizado, seja ônibus ou automóvel. É uma coisa importante fiscalizar esse contrato por meio da comunicação com o 156. Nenhum semáforo reformado pode, por qualquer motivo, ficar mais de duas horas sem funcionamento. Mesmo que caia um raio, mesmo que furtem o fio. A empresa tem compromisso com essa resolutividade”, afirmou o Haddad.


Ao todo, a Prefeitura de São Paulo está investindo R$ 550 milhões na revitalização semafórica em andamento na cidade, incluindo a criação da Central Integrada de Mobilidade Urbana (Cimu).


"Como a central que avisa automaticamente ainda não está instalada, é tarefa para 2015, a gente depende muito de uma comunicação do cidadão”, disse o prefeito.

Fonte: Prefeitura de SP -  Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais