Viúva de Mandela visita Prefeitura de SP e ressalta a importância de políticas afirmativas como Prouni

Compartilhar

 

O prefeito Fernando Haddad recebeu nesta segunda-feira (24) a viúva do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela e do líder moçambicano Samora Machel, Graça Machel. Durante o encontro, Graça destacou o papel de programas implementados no país nos últimos anos para o avanço nas conquistas da população negra.


Para ela, a criação do Programa Universidade Para Todos (ProUni) e o início das discussões da Lei de Cotas, que garante a reserva de 50% das matrículas nas instituições federais de educação a alunos oriundos do ensino médio público, foram fundamentais para as conquista que a população negra alcançou no país nos últimos anos."Viemos aqui primeiro para agradecer, mas depois para encorajar os seus esforços por uma maior inclusão das comunidades mais desfavorecidas, em particular as negras, na participação e exercício de direitos", afirmou Graça.


Haddad destacou que os feitos foram apenas o começo. "Eu acho que a gente fez um trabalho muito honrado com o movimento [negro] brasileiro. É uma dívida histórica que ainda não foi paga. Mas tivemos um começo apenas. Não faltou força de vontade, entusiasmo para que nós atingíssemos os primeiros indicadores que permitem ao Brasil sondar e, quem sabe um dia até superar, o que foi a escravidão. Muitos negros hoje podem almejar os níveis mais elevados da educação, talvez pela primeira vez em suas famílias. Agora é possível sonhar - e sonhar alto", disse o prefeito.


Na ocasião, Haddad lembrou que a Prefeitura tem lutado pelos direitos dos negros. Além da criação da Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial, a administração municipal aprovou uma lei que destina um quinto das vagas em concursos públicos da cidade de São Paulo à população negra.


"Aqui na Prefeitura nós abrimos uma nova frente de luta, que é a adoção de cotas, sobretudo nas carreiras mais bem remuneradas. Nós reservamos 20% das vagas em todos os concursos públicos [municipais] para autodeclarados negros", afirmou.


Haddad destacou que no último concurso realizado para a contratação de procuradores do município, dos 70 empossados, 18 eram negros. Esta relação de 20% era antes, neste caso, de apenas 1%. Dos 300 procuradores que existiam, apenas 3 eram negros. "Isso vai vai mudar até a maneira da cidade se ver. A própria atuação deles vai estar baseada no desejo de fazer da nossa cidade uma cidade para todos", disse.

Fonte: Prefeitura de SP -  Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais