Dilma anuncia R$ 2,4 bi para saneamento e mobilidade em SP

Compartilhar

Em cerimônia no Palácio do Planalto, realizada nesta quinta-feira (4), o governo federal e o governo de São Paulo assinaram contratos para execução de obras de mobilidade urbana e de saneamento no estado, num valor total de R$ 3,4 bilhões.

Os investimentos são de R$ 800 milhões para mobilidade urbana e R$ 2,6 bilhões para abastecimento de água, entre recursos do Orçamento Geral da União e financiamento público.

 O ministro das cidades, Gilberto Occhi, afirmou que São Paulo tem recebido apoio e investimento para obras que são de vital importância para a população paulista. “Isso demonstra que continuamos atentos aos investimentos que o Brasil precisa”, destacou.

Occhi ressaltou ainda que, com os contratos assinados hoje, a carteira de investimentos federais em saneamento chega a R$ 25 bilhões, e em mobilidade urbana R$ 58,7 bilhões, só em São Paulo.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB)  agradeceu à presidenta Dilma a parceria e disse ter certeza de que o bom diálogo e o bom trabalho entre São Paulo e a União continuarão.

“Temos aqui excelente exemplo de cooperação federativa entre governo federal e estadual. Nossa palavra é de agradecimento”, enfatizou.

 A presidenta Dilma Rousseff também afirmou a importância da cooperação e garantiu que, nos próximos quatro anos, dará sequência à relação construída ao longo do seu governo e o de Alckmin.

 “Durante a campanha, é natural divergir, criticar e disputar. No entanto, depois de eleitos temos que respeitar as escolhas legítimas da população brasileira”, ressaltou a presidenta.

Para Dilma, os dois contratos são muito importantes porque vão melhorar a qualidade de vida dos paulistas, principalmente o que financiará o sistema produtor de água de São Lourenço, “mais uma iniciativa na pauta da resolução da grave crise hídrica pela qual passa o estado”.

A presidenta finalizou seu discurso destacando que as obras não vão beneficiar só a população da cidade ou do estado de São Paulo, mas de toda a população brasileira.  “Porque temos um processo em que cada estado depende do crescimento dos outros”, explicou.

 Obras - As intervenções selecionadas no Pacto de Mobilidade Urbana são: reforma e modernização das estações da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM); implantação da Linha 13 – Trem de Guarulhos; Extensão da Linha 9 – Grajaú-Varginha; e Projeto para o BRT Metropolitano – Praia Grande / São Vicente e Terminais (EMTU).

A obra de abastecimento de água do Sistema Produtor São Lourenço será realizada por meio de Parceria Público-Privada (PPP). O investimento é de R$ 2,6 bilhões, sendo R$ 2,3 bilhões de financiamento público e privado e R$ 261,2 milhões de contrapartida. Na ocasião, assinarão o termo de compromisso para a obra as instituições financeiras (Caixa, Itaú e BTG Pactual) e a empresa Sistema Produtor São Lourenço S.A..

Fonte:  Agência PT de Notícias

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais