Prefeitura de São Paulo assina memorando de entendimento com ONU-Habitat

Compartilhar

O prefeito Fernando Haddad e o diretor do escritório regional para América Latina e Caribe da ONU-Habitat, Elkin Velasquez, assinaram nesta segunda-feira (8) um memorando de entendimento entre a instituição e a Prefeitura de São Paulo, em áreas como desenvolvimento urbano, mobilidade, habitação, meio ambiente, combate à pobreza, tecnologia da informação e gestão pública.


O documento, que não estabelece qualquer contrapartida financeira entre as partes nem tampouco define obrigações jurídicas, tem como objetivo a busca em conjunto de soluções para um desenvolvimento urbano sustentável. Almeja-se, por exemplo, a pesquisa e o fomento da implantação, monitoramento e avaliação de experiências, ações e projetos que lidam com a gestão urbana, principalmente aqueles previstos pelo Plano Diretor Estratégico de São Paulo, este sancionado em julho de 2014.


"Em 2016 teremos a Habitat III, conferência onde serão discutidas uma série de questões em torno do desenvolvimento urbano sustentável. Com esta proximidade [entre Prefeitura e a ONU-Habitat], o acompanhamento do que vem sendo feito aqui [no que diz respeito à desenvolvimento urbano] será facilitado. Esta proximidade foi almejada muito pelas inovações que São Paulo está levando a cabo e que podem ser levadas para outras cidades do continente - e isso não só pelo tamanho da cidade, mas também pelo seu protagonismo na região", afirmou o secetário municipal de Relações Internacionais e Federativas, Leonardo Barchini.  


Durante o encontro, Velasquez destacou as ações de gestão urbana da capital frente a outras metrópoles do mundo. "São Paulo é uma cidade de referência para toda a América Latina. Acho que aqui está sendo desenvolvida uma posição progressista bastante importante. Fazer um plano é importante, mas materializar o plano é ainda mais", afirmou.


O diretor da ONU-Habitat afirmou ainda que ações urbanística podem e devem estar aliadas a políticas mais estruturais, normalmente ligadas a âmbitos estaduais ou nacional. "Precisamos mostrar como decisões pequenas têm impactos estruturais e de longo prazo, como as ações de gestão urbana podem responder a dilemas [como] empregos, segurança e iniquidades", disse.


Entre as atividades previstas pelo memorando está a cooperação técnica de preparação da cidade para a Conferência das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável (Habitat III), que acontecerá em 2016. Neste contexto, Velasquez citou o Arco do Tamanduateí como um projeto que tem potencial para apresentação na esfera internacional.


O Programa das Nações Unidas para Assentamentos Humanos (ONU-Habitat) atua em 70 países com o objetivo de promover o desenvolvimento de assentamentos humanos social e ambientalmente mais sustentáveis e garantir abrigo decente para todos.


O secretário muncipal de Desenvolvimento Urbano, Fernando de Mello Franco, também participou do encontro.

Fonte: Prefeitura de SP- Secom

Últimos artigos

Por Rui Falcão: Uma semana decisiva que culmina dia 28
segunda, 24 abril 2017, 18:14
    O PT apoia e participa da greve geral nesta sexta-feira, e sua Executiva Nacional estará em Curitiba dia 2 de maio, em homenagem à festa da democracia do dia 3   Paulo Pinto/Agência PT Ato preparatório para a greve geral do... Leia Mais
Por Rui Falcão: A necessidade de derrubar Temer e eleger Lula
terça, 18 abril 2017, 15:08
  Nosso caminho é aumentar as mobilizações, repelir o canto de sereia dos acordos por cima, defender os direitos e lutar pela antecipação das eleições   A impopularidade e o descrédito crescentes de Temer & seus asseclas; a... Leia Mais
Simão Pedro Chiovetti: A gestão Doria – vender SP
quarta, 12 abril 2017, 16:37
  Doria em menos de 100 dias demonstrou que não tem apego algum por SP e muito menos pelos paulistanos da periferia e classe média   Próximo de completar apenas 100 dias à frente da Prefeitura de SP, já é possível perceber que as... Leia Mais
Por Vitor Marques: 100 dias de governo João Doria: a São Paulo virtual e a São Paulo real
quarta, 12 abril 2017, 15:06
  Empossados os novos governos, via de regra, é esperado que a população tenha uma receptividade e uma tolerância maior com aqueles que estão iniciando a nova gestão. Este período é conhecido no vocabulário político como “lua... Leia Mais
Por Emídio de Souza: Algo está errado
terça, 11 abril 2017, 21:35
  Algo está errado. Contrariando a tradição da política brasileira, um partido chama seus filiados a debater seu futuro e escolher seus dirigentes. Mais de 250 mil atendem ao chamado e, sem serem obrigados, vão às urnas em quase 4... Leia Mais